• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Resumo: Tem crase ou não tem?

Olá, meu povo!

Como está sendo essa primeira semaninha de aula? Cansativa, imagino…

Maaas, não vamos desanimar! Hoje vamos destruir de vez aquele velho fantasma que tanto atormenta vocês: o acento grave indicador de crase. Vamos aprender a usar de vez?

Até as 22h ou até às 22h?

O resultado das eleições será conhecido até as 22h“.

A maioria dos estudantes, ao escrever uma frase parecida com a apresentada no título, ficaria em dúvida quanto a colocar ou não o acento grave indicador de crase em “as 22h”. Acredito que colocariam o acento. E você, caro aluno, colocaria o acento grave ou não?

Vamos à explicação: o vocábulo crase provém do grego krâsis, cujo significado é ação de misturar, mistura de elementos que se combinam num todo. Para nós, é a contração da preposição a com os artigos definidos a, as ou com os pronomes demonstrativos a, as, aquele, aqueles, aquela, aquelas, aquilo:

a + a = à
a + as = às
a + aquele = àquele
a + aqueles = àqueles
a + aquela = àquela
a + aquelas = àquelas
a + aquilo = àquilo

Vejamos alguns exemplos:

1. “Nunca obedeci àquele homem, pois não o respeito” (quem obedece, obedece a alguém);
2. “Assisti à peça teatral escrita por Mário Bortoloto” (quem assiste, no sentido de ver, assiste a algo);
3. “Não aspiro àquela vaga, mas à que foi ocupada por Oriolando” (quem aspira, no sentido de desejar muito, aspira a algo);
4. “Cheguei ao cinema às 19h50” (chegar, ao indicar hora exata, exige a preposição a).

Ocorre, porém, que, em muitas situações, outra preposição é usada, e não o a. Quando isso ocorrer, não haverá o acento indicador de crase, em virtude da falta da preposição a. Vejamos alguns exemplos:

1. “Cheguei após as 7h”: não há o acento indicador de crase, pois, no lugar da preposição a, usou-se a preposição após;
2. “Estou aqui desde as 7h”: não há o acento indicador de crase, pois, no lugar da preposição a, usou-se a preposição desde.

Há, porém, uma preposição que admite a preposição a ao seu lado: é a preposição até. Vejamos alguns exemplos:

1. “Ontem, fomos até o parque caminhar” (ou até ao parque);
2. “Dormi até o meio-dia” (ou até ao meio-dia).

Tal combinação não é obrigatória; é, aliás, desnecessária. A combinação de até com a acontece com o objetivo de evitar ambigüidade, ou seja, evitar duplo sentido na frase, pois o vocábulo até, além de ser preposição, também pode ser advérbio com o sentido de inclusive. Às vezes, não há como saber qual dos dois foi usado.

Veja o seguinte exemplo:

“A enchente inundou o bairro todo, até a igreja”

Não dá para saber o sentido exato da frase. Há duas situações:

– A enchente inundou o bairro todo, mas não a igreja: chegou até ela e parou;
– A enchente inundou o bairro todo, inclusive a igreja.

Se a primeira opção for a verdadeira, até é preposição; se for a segunda, advérbio. Caso a verdadeira seja a primeira opção, recomenda-se o uso da preposição a em combinação com até, evitando, assim, o duplo sentido: “A enchente inundou o bairro todo, até à igreja“.

Caso a verdadeira seja a segunda opção, recomenda-se o uso de inclusive: “A enchente inundou o bairro todo, inclusive a igreja“.

A frase apresentada no início do texto não apresenta ambigüidade. Pode-se, portanto, usar o acento indicador de crase, mas não há necessidade dele.

Então, por hoje é só! Fiquem bem!

(fonte Uol Vestibular)