• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Modelo de Redação: Papel da internet na redação da pirataria

Sabe aquele tema de redação que nós indicamos para você no Plano de Estudos da Semana 14? Ele virou um modelo de redação aqui no blog, feita pelo monitora Maria Carolina, para você se inspirar e comparar com a sua própria redação. Confira!

Veja aqui a coletânea de textos completa para este tema: O papel da internet na redução da pirataria no Brasil 


A Terceira Revolução Industrial, impulsionada pelo vigente sistema capitalista, proporcionou ao indivíduo maior acessibilidade aos meios de comunicação. A internet, ao longo dos anos, desenvolveu uma função expressiva como difusora de informações. Essa permitiu também a propagação de produtos e serviços sem a autorização, ferindo os direitos autorais. Entretanto, com a iniciativa de algumas empresas do setor de entretenimento, vem se mostrado cada vez mais uma aliada no combate à pirataria.

Uma parcela significativa da sociedade brasileira tornou-se consumidora assídua de produtos e arquivos pirateados pela internet. O convite ao desvio é tentador, pois os custos de serviços estabelecidos por grandes nomes do ramo não atendem às necessidades da classe mais baixa, como também não acompanham com a mesma velocidade os lançamentos de filmes e séries do momento. Em razão disso, a ausência de conhecimento sobre a quebra de direitos autorais, a retirada de lucro do mercado produtor e o estímulo indireto ao crime organizado são consequências desse tipo de consumo.

Com o objetivo de reverter tal situação, algumas empresas comprometidas com a legalização de direitos não só ajudam a diminuir a pirataria no Brasil como também impulsionam o consumo de conteúdos enriquecedores. A empresa americana Amazon, por exemplo, oferece livros em versões digitais, comercializados legalmente e com preço acessível. Além de favorecer a disseminação do conhecimento, a iniciativa também é um estímulo à leitura.

Desse modo, para que haja uma aderência total dos navegantes aos meios legais de compartilhamentos, é necessário que a mídia esclareça aos cidadãos os riscos da pirataria e que o setor público intervenha, a fim de fiscalizar e punir os produtores desses males. Assim, o papel da internet como portador de informações, cumprirá ainda, como modelo de propagação de valores éticos a serem seguidos pela sociedade brasileira.

Compartilhe

Avatar

Continue com as redações exemplares!!! São ótimas e me ajuda muito!!!

responder
Avatar

Ali na introdução: “Entretanto, com a iniciativa de algumas empresas do setor de entretenimento, vem se mostrado cada vez mais uma aliada no combate à pirataria.” Achei que ficou meio vago, quem “vem se mostrado cada vez mais uma aliada”? Atrapalhou a compreensão, na minha opinião.

responder
Avatar

Na introdução não fica confuso essa parte que a Mariana falou não? Se refere a internet? Isso seria um motivo para perca de pontos?

responder
Avatar

O texto já começa abordando um assunto discutido na disciplina de Geografia na escola: a Terceira Revolução Industrial e explica que essa revolução proporcionou às pessoas maior acessibilidade aos meios de comunicação. Isso ficou muito condizente com a temática textual. Depois aborda o papel da internet: difusora de informações, trazendo com isso consequências negativas: propagação de produtos e serviços sem a autorização, ferindo os direitos autorais. A partir daí, o autor já está situando o leitor ao tema proposto. Só teve uma falha na argumentação no final da introdução, pois não fica evidente o que tem se mostrado aliada no combate à pirataria, se são as empresas do setor de entretenimento ou a internet. Na verdade não ficou muito claro isso do meu ponto de vista . No desenvolvimento, o autor explica porque as pessoas recorrem a produtos e arquivos piratas na internet. Afirmando que devido aos preços altos desses serviços, a classe mais baixa acaba não tendo outra alternativa a não ser comprar produtos pirateados, que embora sejam de qualidade duvidosa, são até três vezes mais baratos. Porém, poderia ter argumentado também que apesar de os produtos piratas serem comprados principalmente pelas classe B e C, houve um aumento nos últimos anos, da compra de produtos piratas pela classe A também. Outra coisa que poderia ter sido abordado é que, quem vende produtos piratas não paga imposto. E essa falta de recolhimento pela União poderia beneficiar e fortalecer investimentos em prol da melhoria da sociedade. Mas, isso infelizmente não é feito, infringindo a lei para obter lucro. O autor citou um exemplo de como as empresas tentam combater a pirataria na internet. Outro exemplo seria: os softwares de “streaming” de música online como o Spotty que chegou ao país no ano passado, promovendo o livre acesso à músicas do mundo inteiro e oferecendo um serviço a baixo custo para quem contratá-lo . Na conclusão, faltou abordar como uma das soluções o barateamento desses serviços na internet, já que foi citado no texto que a maioria das pessoas com renda menos favorecida recorre aos produtos piratas. Visto que, fiscalizar e punir é uma tarefa bem mais dispendiosa. E por que não falar sobre isso nas escolas também, para desenvolver a conscientização ética sobre o tema, procurando serviços mais baratos? Na minha opinião, não vale 1000, mas está acima da média, sendo um bom modelo a ser seguido. Para mim vale 920 pontos.
1. Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 200
2. Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 200
3. Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 160
4. Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 200
5. Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 160
Total 920

responder