• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Modelo de Redação: Efeitos e desafios da exploração do pré-sal no Brasil

Sabe aquele tema de redação que nós indicamos para você no Plano de Estudos da Semana 07? Ele virou um modelo de redação aqui no blog, feito pelo monitora Maria Carolina, para você se inspirar e comparar com a sua própria redação. Confira!

Veja aqui a coletânea de textos completa para este tema: Efeitos e desafios da exploração do pré-sal no Brasil.

 *

Superar desafios é a nossa energia

As camadas submarinas do território tupiniquim impulsionaram uma maior visibilidade ao cenário econômico e internacional, com o início da exploração do pré-sal, iniciada no ano de 2006. A extração petrolífera prossegue como a principal matriz energética desde a 2ª Revolução Industrial, no entanto, junto aos inúmeros benefícios ao desenvolvimento brasileiro, há uma série de desafios a serem superados.

Pode-se colocar como indicativo os altos investimentos financeiros às pesquisas tecnológicas, que contrastam com a atual crise de petróleo em escala global. Ademais, os contínuos escândalos de corrupção envolvendo a empresa Petrobrás contribuem a um sentimento de desconfiança e descrédito, frente à continuidade de investimentos com outros setores, além da dificuldade de financiamentos. Assim, percebe-se que tais elementos podem prejudicar o andamento de futuras negociações econômicas com outros países.

Outro fator relevante trata-se da distribuição dos royalties, tributo financeiro pago pelas empresas ao governo para ter direito à exploração do pré-sal e compensar possíveis danos ambientais. São inegáveis os benefícios que essa exploração trouxe às terras brasileiras, como o aumento de empregabilidade e o direcionamento econômico voltado a essa exploração dará ao Brasil a oportunidade de ser um dos maiores produtores de petróleo do mundo.

A destinação dos royalties é um assunto que vem gerando muito polêmica. Isso ocorre, porque, no ano de 2014, a presidente Dilma sancionou a Lei dos Royalties, que distribui parte do lucro para investir na educação e na saúde. Entretanto, a grande preocupação é que haja um monitoramento dessa verba, a fim de que não ocorra o desvio de dinheiro público e que esse tributo seja, de fato, efetivado para melhorar as condições do âmbito social.

Portanto, cabe à empresa estatal colocar em prática ações que superem esses desafios, visando combater à corrupção interna, como uma fiscalização necessária para a transparência às negociações e a recuperação e confiança de sua imagem reafirmadas. Ademais, o governo deve cumprir com o que foi assumido em relação à destinação dos royalties, visando melhorar esses setores, como também, a participação mais efetiva dos cidadãos, a fim de assegurarem seus direitos.