• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Modelo de Redação: Artigo de Opinião – Intolerância

intolerância intolerância

Sabe aquele tema de redação que nós indicamos para você na Semana 40? Ele virou um modelo de redação aqui no blog, feito pela monitora Maria Carolina, para você se inspirar e comparar com a sua própria redação. Confira!

Veja aqui a coletânea de textos completa para este tema e faça já a sua redação: Artigo de Opinião – Intolerância.


Tanto yin e yang e o mundo acabará cego

A polaridade não surgiu com a internet, é verdade. Jacobinos e girondinos, que culminaram na esquerda e na direita; aliados e eixo, EUA e URSS; e questões menos importantes como torcedores do Vasco versus torcedores do Flamengo ou mesmo fãs de rock versus fãs de funk. Do mesmo modo, não é de hoje que a intolerância faz parte da nossa sociedade, fruto da nossa – quase – incapacidade de lidar com as divergências.

Não é menos verdade que a intolerância já existente se acentuou com a virada do século e com o advento do World “Wild” Web. Tanto é que as brigas online, originadas por essa característica humana, receberam o nome de “treta” por seus adeptos. É como se isso tivesse virado um estilo de vida. Mais dia, menos dia, será patrimônio da humanidade. A finalidade? Embate de ideias pouco saudável, carregado de falta de tolerância e regado de excesso de egocentrismo.

É claro que nem sempre esses debates são realmente sérios, como os que envolvem questões sociais, a exemplo do caso recente que originou a #somostodosMaju, resposta ao racismo sofrido pela jornalista brasileira Maria Julia. O que é de se espantar é que haja embate numa situação de racismo explícito – ou mesmo velado.

Na grande maioria das vezes, e nós, usuários das redes sociais, sabemos bem disso, grandes guerras de Tróia são travadas por banalidades, pela necessidade de saber quem está certo. Esquecemo-nos, quase sempre, de que certo e errado são conceitos volúveis, que dependem do ponto de vista e que existem muitos pontos, incalculáveis. Não levá-los em conta é, no mínimo, perder a oportunidade de conhecer diferentes prismas. Precisamos nos despolarizar. #despolarizese