• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Modelo de Redação: O papel da literatura na formação de valores da sociedade

Modelo de Redação: O papel da literatura na formação de valores da sociedade

cilindros

Sabe aquele tema de redação que nós indicamos para você na semana 11 de 2017? Ele virou um modelo de redação aqui no blog, feito pela monitora Maria Carolina Coelho, para você se inspirar e comparar com a sua própria redação. Você também pode enviar sua redação para nós! Clique aqui!

Veja aqui a coletânea de textos completa para este tema e faça já a sua redação: O papel da literatura na formação de valores da sociedade.


Quer saber como ficaria uma redação mediana sobre esse tema? Confira:

A poesia de Castro Alves, durante a 3ª geração romântica, marcou o século XIX pela sua linguagem forte e de denúncia sobre os problemas daquele período, o que fez com que muitos leitores refletissem por meio dos textos. É importante lembrar o papel da literatura e seu compromisso com a arte, mas ela também se liga à formação de valores sociais do homem.

Muitas pessoas não são influenciadas a lerem e tal fato mostra que os jovens não tem interesse pela literatura, assim, a escola se torna uma das responsáveis por estimular o hábito da leitura, mas o que vemos é algo contrário, pois os textos literários restringem-se a interpretação textual, sem discussões. Outro problema é que o jovem não percebe que isso prejudica o seu desenvolvimento pessoal e crítico.

As narrativas de Jorge Amado discutem sobre as camadas marginalizadas da região Nordeste por meio da vivência de seus personagens. Assim, nota-se que, a partir da leitura, o leitor pode repensar os valores da sociedade, principalmente, as questões sociais. Na obra “Capitães da Areia”, esses aspectos são apresentados, aproximando-se da triste realidade de muitas pessoas, que enfrentam a fome, a desigualdade econômica e a falta de políticas públicas.

Portanto, a literatura assume importância na formação de indivíduos e na construção de ideais éticos. A escola deve promover rodas de leitura, discussão das obras e explorar os temas de livros para a apresentação de filmes e peças teatrais; a mídia pode atuar com a informação e a acessibilidade cultural. Com essas medidas, a literatura será valorizada e continuará ajudando leitores a desconstruírem a intolerância.

 

Análise da redação

Introdução

A poesia de Castro Alves, durante a 3ª geração romântica, marcou o século XIX pela sua linguagem forte e de denúncia sobre os problemas daquele período, o que fez com que muitos leitores refletissem por meio dos textos. É importante lembrar o papel da literatura e seu compromisso com a arte, mas ela também se liga à formação de valores sociais do homem.

Comentário:

O parágrafo de introdução, assim como o esperado, apresenta uma contextualização, mas com informações rasas e breves. Quais eram as denúncias presentes na poesia de Castro Alves? Como esses pensamentos influenciavam os leitores? É preciso aprofundar as justificativas, vinculando-as ao contexto histórico apresentado. No segundo período, temos a apresentação da tese, mas ainda falta um elemento coesivo (conjunção ou conectores) para interligar as ideias apresentadas com o período anterior.

Sugestão de reescritura:

A poesia de Castro Alves, durante a 3ª geração romântica, marcou o século XIX, uma vez que seus textos tinham o intuito de denunciar a condição dos escravos negros daquele período e, por meio da reflexão lírica, instaurar o pensamento abolicionista na população brasileira. Neste sentido, é possível perceber que a literatura não dissemina só anseios artísticos, mas também, possui função ativa na formação de valores da sociedade e torna-se imprescindível reconhecer o seu valor.

Desenvolvimento 1

Muitas pessoas não são influenciadas a lerem e tal fato mostra que os jovens não tem interesse pela literatura, assim, a escola se torna uma das responsáveis por estimular o hábito da leitura, mas o que vemos é algo contrário, pois os textos literários restringem-se a interpretação textual, sem discussões. Outro problema é que o jovem não percebe que isso prejudica o seu desenvolvimento pessoal e crítico.

Comentário:

O parágrafo de desenvolvimento apresenta boas ideias, mas, além de termos a apresentação de um tópico frasal extenso, ao longo do parágrafo, não há uma ampliação das ideias, que ficam pouco justificadas. No último período, o produtor do texto insere novas informações (o jovem prejudica seu desenvolvimento pessoal e crítico), mas não as relaciona com as ideias anteriores, deixando as informações muito expositivas. Além disso, há erro de concordância em “jovens não tem interesse”, sendo o correto: jovens não têm interesse, como ainda, a ausência da crase em “restringem-se a interpretação”, sendo o correto: restringem-se à interpretação.

Sugestão de reescritura:

A falta de incentivo à leitura, infelizmente, faz com que os jovens não se interessem pela literatura e não aflorem o senso crítico. Uma das causas desse mal é que não há o estímulo ao hábito de ler e, quando os textos literários são indicados nas escolas, restringem-se à interpretação textual, sem debates ou análises, sendo que a literatura é uma representação simbólica da realidade. Por conseguinte, os estudantes não percebem como essa contribui ao seu desenvolvimento pessoal e crítico, de modo que os indivíduos compreendam que são agentes de transformação social e questionem a manutenção do senso comum.

Desenvolvimento 2

As narrativas de Jorge Amado discutem sobre as camadas marginalizadas da região Nordeste por meio da vivência de seus personagens. Assim, nota-se que, a partir da leitura, o leitor pode repensar os valores da sociedade, principalmente, as questões sociais. Na obra “Capitães da Areia”, esses aspectos são apresentados, aproximando-se da triste realidade de muitas pessoas, que enfrentam a fome, a desigualdade econômica e a falta de políticas públicas.

Comentário:

O tópico frasal já faz uso de exemplificações, o que é um erro, pois, como se sabe, o tópico frasal é a síntese do argumento que será discorrido ao longo do parágrafo de desenvolvimento. Em seguida, temos o seguinte trecho: “o leitor pode repensar os valores da sociedade”, mas, que valores são esses? É importante lembrar que o candidato deve defender o seu ponto de vista e validar as ideias presentes no texto. Por fim, o último período ficou expositivo e com pouco aprofundamento argumentativo.

Sugestão de reescritura:

Além disso, a literatura ajuda o leitor a repensar os valores da sociedade e o incita a refletir sobre questões sociais. As narrativas de Jorge Amado, por exemplo, discutem sobre as camadas marginalizadas da região Nordeste e, por meio da vivência de seus personagens, representam as mazelas ainda tão presentes em nossa realidade, tais como a fome, a desigualdade econômica e a falta de políticas públicas, como vistas na obra “Capitães da Areia”. Dessa maneira, a literatura transcende o campo ficcional, pois reflete em seus textos os valores de seu tempo e chama a atenção para a necessidade de construir um coletivo mais solidário e participativo, a fim de evitar a naturalização dos problemas sociais.

Conclusão

Portanto, a literatura assume importância na formação de indivíduos e na construção de ideais éticos. A escola deve promover rodas de leitura, discussão das obras e explorar os temas de livros para a apresentação de filmes e peças teatrais; a mídia pode atuar com a informação e a acessibilidade cultural. Com essas medidas, a literatura será valorizada e continuará ajudando leitores a desconstruírem a intolerância.

Comentário:

No parágrafo de conclusão, temos a retomada da tese, a apresentação dos agentes interventores (escola e mídia) e a orientação de como as mudanças devem ser exercidas para combater a problemática em questão, mas não temos a justificativa ou a explicação da função social que mobiliza essas propostas. Para conquistar uma boa pontuação, a proposta precisa ser detalhada e, no último período, é necessário construir uma frase de impacto para finalizar o texto e, se possível, o candidato pode relacioná-la com uma contextualização anteriormente citada, como a da introdução, por exemplo.

Sugestão de reescritura:

Portanto, a literatura assume importância na formação de indivíduos e na construção de ideais éticos. Para estimular o hábito de ler e, também, o interesse por textos literários, a escola deve promover rodas de leitura, discussão das obras e, ainda, explorar os temas para a apresentação de filmes e peças teatrais. Ademais, a mídia pode atuar com a informação e a acessibilidade cultural, como já ocorre com a TV Globo, que apresenta minisséries baseadas em livros e, junto à função apelativa, faz o público repensar alguns emblemas, entre eles, a igualdade de direitos. Assim, a literatura será valorizada e continuará, como na 3ª Geração Romântica, ajudando leitores a desconstruírem a intolerância em prol de uma sociedade mais inclusiva.

Redação exemplar

A poesia de Castro Alves, durante a 3ª geração romântica, marcou o século XIX, uma vez que seus textos tinham o intuito de denunciar a condição dos escravos negros daquele período e, por meio da reflexão lírica, instaurar o pensamento abolicionista na população brasileira. Neste sentido, é possível perceber que a literatura não dissemina só anseios artísticos, mas também, possui função ativa na formação de valores da sociedade e torna-se imprescindível reconhecer o seu valor.

A falta de incentivo à leitura, infelizmente, faz com que os jovens não se interessem pela literatura e não aflorem o senso crítico. Uma das causas desse mal é que não há o estímulo ao hábito de ler e, quando os textos literários são indicados nas escolas, restringem-se à interpretação textual, sem debates ou análises, sendo que a literatura é uma representação simbólica da realidade. Por conseguinte, os estudantes não percebem como essa contribui ao seu desenvolvimento pessoal e crítico, de modo que os indivíduos compreendam que são agentes de transformação social e questionem a manutenção do senso comum.

Além disso, a literatura ajuda o leitor a repensar os valores da sociedade e o incita a refletir sobre questões sociais. As narrativas de Jorge Amado, por exemplo, discutem sobre as camadas marginalizadas da região Nordeste e, por meio da vivência de seus personagens, representam as mazelas ainda tão presentes em nossa realidade, tais como a fome, a desigualdade econômica e a falta de políticas públicas, como vistas na obra “Capitães da Areia”. Dessa maneira, a literatura transcende o campo ficcional, pois reflete em seus textos os valores de seu tempo e chama a atenção para a necessidade de construir um coletivo mais solidário e participativo, a fim de evitar a naturalização dos problemas sociais.

Portanto, a literatura assume importância na formação de indivíduos e na construção de ideais éticos. Para estimular o hábito de ler e, também, o interesse por textos literários, a escola deve promover rodas de leitura, discussão das obras e, ainda, explorar os temas para a apresentação de filmes e peças teatrais. Ademais, a mídia pode atuar com a informação e a acessibilidade cultural, como já ocorre com a TV Globo, que apresenta minisséries baseadas em livros e, junto à função apelativa, faz o público repensar alguns emblemas, entre eles, a igualdade de direitos. Assim, a literatura será valorizada e continuará, como na 3ª Geração Romântica, ajudando leitores a desconstruírem a intolerância em prol de uma sociedade mais inclusiva.