• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Modelo de Redação: A exposição exagerada no ambiente virtual

Modelo de Redação: A exposição exagerada no ambiente virtual

cxcx

Sabe aquele tema de redação que nós indicamos para você na semana 14 de 2017? Ele virou um modelo de redação aqui no blog, feito pela monitora Bruna Basile, para você se inspirar e comparar com a sua própria redação. Você também pode enviar sua redação para nós! Clique aqui!

Veja aqui a coletânea de textos completa para este tema e faça já a sua redação: A exposição exagerada no ambiente virtual.


Quer saber como ficaria uma redação mediana sobre esse tema? Confira:

São incontáveis os aplicativos que surgem a todo momento na internet. Antigamente, a função deles era aproximar pessoas em um mundo globalizado, hoje, servem como diários abertos a todos os seguidores. À medida que o ambiente virtual traz benefícios para a comunicação, eles também se tornam meios de exposição excessiva. Dessa forma, é importante educar os usuários dessas redes sociais, a fim de evitar problemas pessoais.

Cabe ressaltar como a internet é presente na vida dos seus usuários. É comum encontrar pessoas de diferentes faixas etárias com smartphones nas mãos que os utilizam para fins profissionais, acadêmicos e pessoais. Porém, este é o que gera problemas, visto que os usuários divulgam demasiadas informações na rede e correm o risco de terem informações vazadas por “hackers”.

Com o intuito de solucionar problemas causados pela má utilização do ambiente virtual, medidas precisaram ser tomadas, no Brasil. Em 2012 foi criada a lei Carolina Dieckmann com o objetivo de punir condutas indesejadas na internet, depois de imagens íntimas terem sido divulgadas e por existir uma lacuna de punição desse setor.

Fica evidente que, embora a globalização tenha trazido a internet como meio de troca de informações e comunicação, ela precisa ser fiscalizada devido às demandas atuais. Com a necessidade de guiar os caminhos dos usuários, não só devem-se criar meios de punir os usuários da rede, mas também de educar os usuários para que gerações futuras saibam como se comportarem em ambientes virtuais. Dessa forma, instituições de ensino em parceria com as secretarias de educação devem formular práticas pedagógicas – oficinas, palestras, aulas – de inclusão e educação digital para que cada vez mais os usuários saibam utilizar esse novo meio de comunicação.

 

Análise da redação

Introdução

São incontáveis os aplicativos que surgem a todo momento na internet. Antigamente, a função deles era aproximar pessoas em um mundo globalizado, hoje, servem como diários abertos a todos os seguidores. À medida que o ambiente virtual traz benefícios para a comunicação, eles também se tornam meios de exposição excessiva. Dessa forma, é importante educar os usuários dessas redes sociais, a fim de evitar problemas pessoais.

Comentário:

Embora o parágrafo de introdução esteja bem escrito e cumprindo as duas funções: contextualizando o tema e apresentando a tese, é possível utilizar uma contextualização por flashes dando exemplo das redes sociais conhecidas no momento para ilustrar a introdução.

Sugestão de reescritura:

Facebook. Twitter. Instagram. Snapchat. Whatsapp. São incontáveis os aplicativos que surgem a todo momento na internet. Antigamente, a função deles era aproximar pessoas em um mundo globalizado, hoje, servem como diários abertos a todos os seguidores. À medida que o ambiente virtual traz benefícios para a comunicação, eles também se tornam meios de exposição excessiva. Dessa forma, é importante educar os usuários dessas redes sociais, a fim de evitar problemas pessoais.

 

Desenvolvimento 1

Cabe ressaltar como a internet é presente na vida dos seus usuários. É comum encontrar pessoas de diferentes faixas etárias com smartphones nas mãos que os utilizam para fins profissionais, acadêmicos e pessoais. Porém, este é o que gera problemas, visto que eles divulgam demasiadas informações na rede e correm o risco de terem informações vazadas por “hackers”.

Comentário:

Para construir uma argumentação é necessário apresentar evidências que comprovam a opinião do autor, ou seja, fortalece o convencimento do leitor do texto. No 1º parágrafo de desenvolvimento há a opinião do candidato, visto que ele apresenta a utilização da internet nos meios profissionais, acadêmicos e pessoais, mas não há uma evidência que comprove a tese, por isso, para evitar um parágrafo expositivo, é necessário apresentar um exemplo concreto.

Sugestão de reescritura:

Cabe ressaltar como a internet é presente na vida dos seus usuários. É comum encontrar pessoas de diferentes faixas etárias com smartphones nas mãos que os utilizam para fins profissionais, acadêmicos e pessoais. Porém, este é o que gera problemas, visto que eles divulgam demasiadas informações na rede e correm o risco de terem informações vazadas por “hackers”. Exemplo disso são as notícias repercutidas nos sites jornalísticos sobre atores famosos que tiveram fotos íntimas e informações divulgadas em toda rede mundial de computadores.

 

Desenvolvimento 2

Com o intuito de solucionar problemas causados pela má utilização do ambiente virtual, medidas precisaram ser tomadas, no Brasil. Em 2012 foi criada a lei Carolina Dieckmann com o objetivo de punir condutas indesejadas na internet, depois de imagens íntimas terem sido divulgadas e por existir uma lacuna de punição desse setor.

Comentário:

Deve-se prestar sempre atenção que apenas a apresentação de exemplos também torna o parágrafo expositivo, visto que o autor não está apresentando suas ideias para dialogar com a evidência e por isso, um parágrafo argumentativo deve ser composto por: opinião + evidência.

Sugestão de reescritura:

Com o intuito de solucionar problemas causados pela má utilização do ambiente virtual, medidas precisaram ser tomadas, no Brasil. Em 2012 foi criada a lei Carolina Dieckmann com o objetivo de punir condutas indesejadas na internet, depois de imagens íntimas terem sido divulgadas e por existir uma lacuna de punição desse setor. Além disso, como delitos virtuais se tornaram frequentes – clonagem de cartões, cyberbullying, por exemplo – criou-se também uma delegacia especializada em crimes cibernéticos para garantir a investigação e punição desses atos.

 

Conclusão

Fica evidente que, embora a globalização tenha trazido a internet como meio de troca de informações e comunicação, ela precisa ser fiscalizada devido às demandas atuais. Com a necessidade de guiar os caminhos dos usuários, não só devem-se criar meios de punir os usuários da rede, mas também de educar os usuários para que gerações futuras saibam como se comportarem em ambientes virtuais. Dessa forma, instituições de ensino em parceria com as secretarias de educação devem formular práticas pedagógicas – oficinas, palestras, aulas – de inclusão e educação digital para que cada vez mais os usuários saibam utilizar esse novo meio de comunicação.

Comentários:

A conclusão apresenta proposta de intervenção detalhada com agente de intervenção, o que deve ser feito e como deve ser feito. Entretanto, o parágrafo apresenta a repetição da palavra ‘usuário’. Embora seja difícil de encontrar sinônimos para essa palavra, existe outros meios para substituí-la, por exemplo, com a utilização de pronomes, um recurso coesivo que auxilia para evitar repetições.

Sugestão de reescritura:

Fica evidente que, embora a globalização tenha trazido a internet como meio de troca de informações e comunicação, ela precisa ser fiscalizada devido às demandas atuais. Com a necessidade de guiar os caminhos dos usuários, não só devem-se criar meios de puni-los, mas também de educá-los para que gerações futuras saibam como se comportarem em ambientes virtuais. Dessa forma, instituições de ensino em parceria com as secretarias de educação devem formular práticas pedagógicas – oficinas, palestras, aulas – de inclusão e educação digital para que cada vez mais eles saibam utilizar esse novo meio de comunicação.

Redação exemplar  

Facebook. Twitter. Instagram. Snapchat. Whatsapp. São incontáveis os aplicativos que surgem a todo momento na internet. Antigamente, a função deles era aproximar pessoas em um mundo globalizado, hoje, servem como diários abertos a todos os seguidores. À medida que o ambiente virtual traz benefícios para a comunicação, eles também se tornam meios de exposição excessiva. Dessa forma, é importante educar os usuários dessas redes sociais a fim de evitar problemas pessoais.

Cabe ressaltar como a internet é presente na vida dos seus usuários. É comum encontrar pessoas de diferentes faixas etárias com smartphones nas mãos que os utilizam para fins profissionais, acadêmicos e pessoais. Porém, este é o que gera problemas, visto que eles divulgam demasiadas informações na rede e correm o risco de terem informações vazadas por “hackers”. Exemplo disso são as notícias repercutidas nos sites jornalísticos sobre atores famosos que tiveram fotos íntimas e informações divulgadas em toda rede mundial de computadores.

Com o intuito de solucionar problemas causados pela má utilização do ambiente virtual, medidas precisaram ser tomadas, no Brasil. Em 2012 foi criada a lei Carolina Dieckmann com o objetivo de punir condutas indesejadas na internet, depois de imagens íntimas terem sido divulgadas e por existir uma lacuna de punição desse setor. Além disso, como delitos virtuais se tornaram frequentes – clonagem de cartões, cyberbullying, por exemplo – criou-se também uma delegacia especializada em crimes cibernéticos para garantir a investigação e punição desses atos.

Fica evidente que, embora a globalização tenha trazido a internet como meio de troca de informações e comunicação, ela precisa ser fiscalizada devido às demandas atuais. Com a necessidade de guiar os caminhos dos usuários, não só devem-se criar meios de puni-los, mas também de educá-los para que gerações futuras saibam como se comportarem em ambientes virtuais. Dessa forma, instituições de ensino em parceria com as secretarias de educação devem formular práticas pedagógicas – oficinas, palestras, aulas – de inclusão e educação digital para que cada vez mais eles saibam utilizar esse novo meio de comunicação.