• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Um infográfico para não errar mais o uso do Hífen. Vai perder?

Confira um infográfico para nunca mais errar o uso do hífen

Desse jeito fica fácil acertar o uso do hífen e garantir a sua nota na hora de produzir uma redação ou resolver uma questão discursiva. Quer saber mais sobre o assunto? Confira mais dicas sobre o uso do hífen no Novo Acordo Ortográfico e tire outras dúvidas que você possa ter!

EM QUAIS SITUAÇÕES AINDA USAMOS O HÍFEN?

1. Usamos o hífen quando a primeira “parte” da palavra (isto é, o prefixo) termina em vogal e o segundo elemento começa com a mesma vogal.

Ex: anti-inflamatório, micro-ondas, micro-ônibus

Dica para memorizar: usamos o hífen para separar duas vogais iguais, mas, quando as vogais são diferentes, não usamos o hífen.

Ex: autoajuda, autoescola, infraestrutura, semiárido

 

2. Quando o prefixo termina em r e o segundo elemento da palavra começa com r.

Ex: inter-regional, inter-racial, super-resisitente

 

3. Também usamos após o prefixo quando a palavra é iniciada por h.

Ex: super-homem, sobre-humano, anti-higiênico

 

4. Usamos o hífen após os prefixos “ex”, “sem”, “além”, “aquém”, “recém”, “pós”, “pré” e “pró”.

Ex: ex-aluno, sem-terra, além-mar, recém-nascido, pós-graduação, pré-vestibular

 

5. E também em nomes geográficos apenas quando o primeiro elemento é o adjetivo “grã” ou “grão”, ou quando há artigo entre os elementos.

Ex: Grã-Bretanha, Grão-Pará, Baía de todos-os-Santos

 

6. Em palavras compostas que se referem a espécies de animais ou vegetais.

Ex: couve-flor, louva-a-deus, erva-doce

 

7. Ainda usamos o hífen quando a palavra que segue os advérbios “bem” e “mal” é iniciada por vogal ou por h.

Ex: bem-estar, mal-humorado, bem-aventurado

 

8. E, por fim, usamos o hífen em palavras formadas por sufixos de origem tupi-gurani.

Ex: capim-açu, Ceará-mirim

 

QUANDO NÃO USAMOS MAIS O HÍFEN?

1. Não usamos o hífen quando o prefixo da palavra termina em vogal e o segundo elemento é iniciado por r ou s. No lugar disso, dobramos as consoantes.

Ex: autorretrato, ultrassonografia, antissocial, antirrugas

 

2. Também não usamos o hífen em palavras que perderam a noção de composição.

Ex: paraquedista, paraquedas

 

3. Nem quando o prefixo termina em consoante e o segundo elemento começa com vogal.

Ex: hiperativo, interestadual, supereconômico

 

Descomplicamos o assunto? Deixe o seu comentário e, se houver, a sua dúvida! 😀