• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

4 relações semânticas para nunca mais errar na prova

A semântica implica no significado das palavras para o ouvinte ou leitor. É um estudo muito importante, principalmente na leitura de textos literários. Nessa lista, vamos te explicar 4 relações semânticas para você nunca mais pegar o bonde andando.

 

Bonde andando

1. Sinonímia

Relação semântica que ocorre quando duas ou mais palavras apresentam o mesmo significado. Quando buscamos a sinonímia em poemas a compreensão se torna mais fácil, veja:

“Amor é fogo que arde sem se ver

É ferida que dói e não se sente

É um contentamento descontente

É dor que desatina sem doer.”

(Luís de Camões – Soneto – 1ª parte)

 

Usando a sinonímia:

 

Amor queima e não se nota

É imperceptível

É um prazer que causa aflição

É dor que perturba, mas não dói.

 

Um outro fato importantíssimo em relação à sinonímia na leitura de poemas é em relação à dupla negativa. Toda dupla negativa corresponde a uma afirmação. O problema é que, pelo uso cotidiano, transformamos a dupla negativa em uma negação simples, como em “Eu não vejo nada”.

Meditemos:

“Eu não vejo um homem. Vejo uma mulher.” – Se eu não vejo uma coisa, implica o fato de que eu esteja vendo uma coisa diferente ou contrária àquilo que disse não estar vendo, a não ser que esteja com algum problema na visão.

O mesmo temos em “Eu não vejo nada”. Implica o fato de eu estar vendo uma coisa diferente ou contrária à “nada”, ou seja, “tudo”. Logo: Eu não vejo nada. = Eu vejo tudo.

Uau!

Uau!

 

2. Antonímia

O oposto de sinonímia, são palavras ou expressões de significados opostos.  Também muito usada em poesias que apresentam a antítese (relação de ideias contrárias).

“Onde queres o ato, eu sou espírito

E onde queres ternura, eu sou tesão

Onde queres o livre, decassílabo

E onde buscas o anjo, sou mulher”

(Trecho de “O Quereres” – Caetano Veloso)

 

Interpretando a passagem: Perceba que podemos simplificar, primeiro, usando a sinonímia:

“Onde queres o ato, eu sou espírito” – (O ato é uma coisa física, enquanto o espírito é abstrato, impalpável, podemos interpretar o contato físico como ato e a emoção como o espírito – “Onde queres o sexo, sou emoção”)

“Onde queres ternura, eu sou tesão” – (A ternura é um sentimento que pressupõe consciência, enquanto o tesão é instinto – “Onde queres a consciência, eu sou o instinto”)

“Onde queres o livre, decassílabo” – (O verso livre é mais simples de ser entendido, enquanto os decassílabos, mais complexos – “Onde queres o simples, eu sou o complexo”)

“Onde buscas o anjo, sou mulher” – (Neste, além de tudo, ele usa metáfora, comparando a mulher a uma tentação, logo, “onde buscas a serenidade, eu sou a tentação”)

Reescrevendo o trecho:

“Onde queres o sexo, eu sou a emoção

Onde queres a consciência, eu sou instinto

Onde queres o simples, (sou) o complexo

Onde queres a serenidade, sou a tentação (aquilo que tira o sossego)”

Depois disso, ficou mais fácil de perceber que se trata de termos opostos, ou seja, antonímia, que configura a figura de linguagem chamada antítese.

 

3. Parônimos

Lembre-se do início da palavra PARônimos, são palavras PARecidas. Têm escrita e pronúncia PARecidas, mas significados diferentes. Muitas vezes essas palavras são confundidas. Por exemplo:

Arrear = selar o cavalo. (Colocar a sela, não é o verbo “selar”, falaremos sobre homônimos a seguir, não tenha pressa!)

Arriar = verbo, sinônimo de abaixar.

Sendo assim: Ele arreia o cavalo para dar um passeio, mas ele arria o cavalo quando monta porque está muito gordo e o cavalo não aguenta seu peso.

Descriminar = isentar de culpa, inocentar.

Discriminar = ter preconceito ou destacar.

 

4. Homônimos

Palavras que se escrevem ou se pronunciam de forma idêntica, mas possuem significados diferentes.

– Homônimos homógrafos: palavras que são escritas de forma idêntica, mas possuem significados diferentes e pronunciam-se de forma diferente.

Exemplo: Não “gosto” de mau “gosto”.

Na primeira aparição da palavra “gosto” na oração acima, a pronúncia é feita com a sílaba tônica aberta e na segunda aparição a sílaba tônica é fechada.

– Homônimos homófonos: a grafia é diferente e a pronúncia é idêntica.

Exemplo: Passarei na “seção” de biscoitos antes de assistir à “sessão” da tarde.

Seção: setor, departamento.

Sessão: período de apresentação de alguma coisa.

– Homônimos perfeitos:  tanto a grafia, quanto a pronúncia são idênticas, mas possuem significados diferentes.

Exemplo: Sujei a “manga” da camisa com a “manga” (fruta).

 

Gato no espelho

É assim que nos sentimos quando não reconhecemos o significado correto de uma palavra.