• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

7 poemas essenciais do autor que mais caiu em provas de Português do ENEM

O ENEM não possui lista de leitura obrigatória para a realização da prova, mas nós sabemos que citação de textos são recorrentes em todos os vestibulares. Pensando nisso, é bom se familiarizar com os autores que mais aparecem nessas provas – e nós fomos atrás do “queridinho do ENEM” e descomplicamos essa para você!

7 poemas de Drummond que vão cair no ENEM

 

O autor que mais “caiu” em provas do ENEM foi Carlos Drummond de Andrade. Sua prosa e poesia foram base para 16 questões de 15 exames já realizados. Há poemas do poeta mineiro que são obrigatórios para qualquer brasileiro e, se você não conhece, precisa conhecer! Vamos lá?

 

1-  “Verbo ser”  – É um dos poemas existencialistas e filosóficos de Drummond, e caiu no Enem de 2012! Opa!

“Que vai ser quando crescer?
Vivem perguntando em redor. Que é ser?
É ter um corpo, um jeito, um nome?
Tenho os três. E sou?
Tenho de mudar quando crescer? Usar outro nome, corpo e jeito?
Ou a gente só principia a ser quando cresce?
É terrível, ser? Dói? É bom? É triste?
Ser; pronunciado tão depressa, e cabe tantas coisas?
Repito: Ser, Ser, Ser. Er. R.
Que vou ser quando crescer?
Sou obrigado a? Posso escolher?
Não dá para entender. Não vou ser.
Vou crescer assim mesmo.
Sem ser. Esquecer.”

7 poemas de Drummond que vão cair no ENEM

“Eu te disse que sou pequena.”.

 

2-  “No meio do caminho”  – esse poema você, com certeza, já leu ou ouviu em algum lugar. Ele apareceu na prova que foi cancelada de 2009 e faz parte da cultura brasileira, de modo que até pessoas que não conhecem a obra de Drummond já fizeram alguma piada com “no meio do caminho tinha uma pedra”…

“No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra.
Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra.”

7 poemas de Drummond que vão cair no ENEM

Se tiver uma pedra no caminho, o improviso é a melhor saída.

 

3-   “Quadrilha”  – Este poeminha é um dos mais divertidos do poeta, e mostra a grande rotatividade dos encontros amorosos. Junte os nomes de uns cinco amigos seus e você poderá fazer um poema bem parecido!

“João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para o Estados Unidos, Teresa para o
convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto
Fernandes
que não tinha entrado na história.”

7 poemas de Drummond que vão cair no ENEM

 

4-   “José”    – é um poema longo e emblemático da literatura brasileira. “José” é o nome representativo de um brasileiro comum. Todos podemos nos identificar, de alguma forma, com José e seu momento de desilusão. E agora, você?

“E agora, José?
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José?
e agora, Você?
Você que é sem nome,
que zomba dos outros,
Você que faz versos,
que ama, protesta?
e agora, José?

[…]”

7 poemas de Drummond que vão cair no ENEM

 

5-  “Poema de sete faces”    – Sete faces, sete estrofes, sete imagens. Você pode ler o poema na íntegra e ouvir mais sobre ele no vídeo 3 do módulo 36, sobre Drummond. Esse poema já foi parafraseado e parodiado por muitos outros autores da língua portuguesa como Chico Buarque e Adélia Prado.

“Quando nasci, um anjo torto
desses que vivem na sombra
disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida.

[…]

Mundo mundo vasto mundo
se eu me chamasse Raimundo,
seria uma rima, não seria uma solução.
Mundo mundo vasto mundo,
mais vasto é meu coração.

Eu não devia te dizer
mas essa lua
mas esse conhaque
botam a gente comovido como o  diabo.”

7 poemas de Drummond que vão cair no ENEM

“…mas esse conhaque botam a gente comovido como o diabo.”

 

6-   “Procura da poesia”  – Esse poema apareceu numa das questões do ENEM 2006, e é um daqueles metapoemas, ou seja, que tratam a própria composição do poema. Uma das estrofes deixa isso bem claro:

“[…]

Penetra surdamente no reino das palavras.
Lá estão os poemas que esperam ser escritos.
Estão paralisados, mas não há desespero,
há calma e frescura na superfície intata.
Ei-los sós e mudos, em estado de dicionário.

[…]”

7 poemas de Drummond que vão cair no ENEM

“Penetra surdamente no reino das palavras”… de preferência com um lápis, porque essas máquinas antigas fazem MUITO barulho!

 

7-  “Sentimento do mundo”   – A expressão “sentimento do mundo” também virou o nome do livro que contém este poema. No fundo, todo mundo tem esse sentimento grande de mudar o mundo, mas aí a tristeza bate quando lembramos que só temos duas mãos… #snif

“[…]

Tenho apenas duas mãos
e o sentimento do mundo,
mas estou cheio de escravos,
minhas lembranças escorrem
e o corpo transige
na confluência do amor.
Quando me levantar, o céu
estará morto e saqueado,
eu mesmo estarei morto,
morto meu desejo, morto
o pântano sem acordes.
Os camaradas não disseram
que havia uma guerra
e era necessário
trazer fogo e alimento.
Sinto-me disperso,
anterior a fronteiras,
humildemente vos peço
que me perdoeis.
Quando os corpos passarem,
eu ficarei sozinho
desfiando a recordação
do sineiro, da viúva e do microscopista
que habitavam a barraca
e não foram encontrados
ao amanhecer
esse amanhecer
mais noite que a noite.”

7 poemas de Drummond que vão cair no ENEM

Como lidar com o sentimento do mundo? Aparentemente, nem o Justin Bieber sabe.

 

O que dizer dessa lista que já terminou e me ensinou “pacas” sobre um dos maiores poetas brasileiros, hein? Curtiu? Não esqueça de deixar seu comentário! 🙂