• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Língua portuguesa/Literatura brasileira UERJ

Olá, Galera!

Tudo bem?

No post de hoje, vamos analisar a prova específica da UERJ. Vocês já devem ter notado que essa prova requer, além de uma leitura atenta para uma boa interpretação de texto como na prova instrumental,  um conhecimento gramatical mais aguçado do estudante, por isso quero destacar dois pontos aos quais vocês devem dar uma atenção especial:

  • na parte de morfologia: estrutura e processo de formação de palavras;
  • na parte da sintaxe: funções sintáticas e orações subordinadas, sobretudo as adverbiais com seus respectivos valores circunstanciais.

Observem a última prova, que começa com um texto cujo título é Tempo da camisolinha de Mário de Andrade. Seguindo o estudo do texto na prova instrumental, notem a referência bibliográfica do texto para facilitar a contextualização deste. Em seguida, façam uma leitura atenta, destacando conjunções, pronomes e, particularmente na específica, pronomes pessoais oblíquos e sua clasiificação sintática.

A primeira questão da prova de 2010 trata exatamente disso, reparem:

“As camisolinhas, ela as conservaria ainda por mais de ano,”

Nesta frase, vocês tinham que indicar a que termo o pronome pessoal oblíquo “as” faz referência e, depois, classificar sintaticamente o pronome (objeto direto pleonástico).

Já a terceira questão da UERJ traz a morfologia para a prova ao pedir para o aluno nomear os processos de formação das palavras “navalhante” e “homem-feito”, retiradas do texto de Mário de Andrade, e classificar, posteriormente, os elementos que compõem cada palavra. Percebam que os exemplos destacados dão conta dos dois processos de formação: derivação e composição. Chamo atenção também para a classificação dos elementos mórficos, pois muitas pessoas consideraram ‘-ante’ como o sufixo da palavra ”navalhante”, quando, na verdade, a divisão seria: ‘navalh-‘ (radical), ‘-a-‘ (vogal temática) e ‘-nte’ (sufixo).

Seguindo a estrutura da prova, temos um texto em verso, um poema de Castro Alves. Passo diretamente à questão quatro por ser tratar de um assunto muito cobrado nas provas, figuras de linguagem. O aluno deveria identifcar duas figuras presentes em dois versos destacados; portanto, façam uma revisão nessa parte de figuras como metáfora, metonímia, antítese, paradoxo (figuras de palavras); hipérbato, elipse (figuras de construção ou sintaxe) e aliteração e assonância (figuras sonoras), claro, sem deixar de trabalhar o efeito ou valor expressivo no texto desses recursos estilísticos; afinal, não basta nomearmos, temos que entender o uso desses recursos para a construção de sentido do texto.

A questão sete é muito interessante, pois ilustra bem a importância de vocês marcarem as características de cada tipo e gênero textual. A questão se relaciona ao texto de Monteiro Lobato, O comprador de fazendas, que é uma construção narrativa, e pedia ao aluno duas caracterizações do personagem Trancoso. Quando vocês se depararem com um texto narrativo, por exemplo, marquem seus elementos básicos – tempo, espaço, personagens, foco narrativo e enredo – a fim de organizar, entender melhor o texto, além de facilitar a resposta na hora da prova.Vocês identificariam facilmente essas caracterizações qo destacarem palavras e expressões adjetivas que o narrador utiliza para construir a personagem.

Por último, gostaria que vocês prestassem atenção na questão nove sobre orações. Notem que há uma estrofe destacada do poema À televisão de José Paulo Paes na qual estão presentes três orações. Observem que o enunciado pedia ao candidato para apontar a circunstância adverbial da terceira oração “que em próprio não me canso em viver”; conforme havia destacado para vocês no início do post, fiquem atentos às orações adverbiais, sobretudo às suas circunstâncias.

É isso, Galera! Procurei enfatizar as questões da prova de 2010 que dão margem aos conteúdos mais cobrados. Espero ter ajudado vocês. Caso haja alguma dúvida, comentem.

Desejo uma boa prova, façam com tranquilidade.

Até mais!