• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Revisando o Segundo Exame de Qualificação – UERJ

Olá a todos!

Passado o Segundo exame de qualificação, uma impressão clara: mais uma vez as questões de Geografia predominaram sobre as de História, com larga vantagem para a Geografia. Entretanto, tanto nesse quanto no outro exame de qualificação desse ano, tivemos um maior índice de questões de História, se comparado com os anos anteriores. Além disso, a excelente questão 60 trouxe uma das únicas questões realmente interdisciplinares que a UERJ já elaborou na parte de Ciências Humanas do exame de qualificação.

Acredito que a prova possa ser considerada de nível fácil, exceto pela já citada questão 60, que se não cobrava nenhum conhecimento específico do candidato, exigia um bom nível de interpretação e aplicação dos conceitos, tendo como chaves a relação tempo-espaço e o conceito de território, muito usado pela Geografia brasileira.

Mas vamos às outras questões: a 47 trazia um gráfico e exigia a análise atrelada ao conhecimento dos diferentes períodos históricos brasileiro do Século XX, bem como de suas políticas econômicas. Uma questão simples e já tradicional em provas da UERJ, trazendo novamente o período militar em foco. Na questão 50, os badalados 200 anos da vinda da Família Real se fizeram presentes. A questão também era de nível fácil, e de um tema que deve ter recebido grande atenção, por estar na ordem do dia inclusive no meio acadêmico. Pretendemos, aqui no Desconversa, trabalhar a vinda da Família Real e suas implicações para o vestibular desse ano em futuras postagens.

A questão 51 trouxe uma agradável “surpresa”: o paradoxal processo de abertura e modernização chinês, que ao mesmo tempo em que promove intenso crescimento econômico acentua as desigualdades. Tal temática já tinha sido exposta nesse espaço como provável questão da prova, e a UERJ manteve o padrão de cobrar assuntos que se relacionem com acontecimentos atuais. Nessa linha também foi a questão 53, que cobrou do candidato conhecimento da atual situação geopolítica da América Latina, em especial as possíveis mudanças que decorram do novo governo cubano. O tema é interessante e pode voltar em outras provas desse ano.

Passado o segundo exame, temos agora cerca de 8 semanas para o começo da “maratona”: a seqüência final de provas de vestibular de 2008. Durante este período, a parte de História do Desconversa tentará trazer revisões e análises de assuntos e tipos de questão que tradicionalmente são cobrados. Claro que ficaremos longe de contemplar todos os assuntos, por isso vamos privilegiar assuntos contemporâneos, que tradicionalmente são menos “conhecidos” pelos alunos, e assuntos que, por estarem tendo muita discussão no meio acadêmico, são fortes candidatos a aparecer nas provas.

Agora sim é o momento de maior concentração e preparação final do ano; mas não se esqueçam, claro, que nem só de estudo sobrevive o vestibulando. O essencial é saber suas necessidades e limites, buscando superá-los sempre.

E vocês, como foram na prova? O que esperam das próximas? Aguardamos os próximos encontros!

Bernardo Padula