• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

4 cartazes de resistência dos Aliados durante a 2ª Guerra Mundial que vão te ajudar a resistir ao desespero pré-ENEM!

Resolva exercícios de vestibular sobre “2ª Guerra Mundial”, aprenda o passo-a-passo das resoluções e prepare-se para gabaritar o Enem e os vestibulares!

Com o ENEM cada vez mais próximo bate um desespero, né? A pressão aumenta cada vez mais, o tempo para estudar e se organizar diminuem… Durante a Segunda Guerra Mundial, os países europeus que viriam a formar o bloco dos Aliados (França, Inglaterra, URSS e EUA)  também sentiram esse desespero diante dos crescentes avanços nazistas. Inicialmente, todo mundo achou que os alemães iam se acalmar e ficaria tudo. Afinal, ninguém queria passar por uma Grande Guerra novamente. Mas mesmo os mais otimistas se viram sem chão quando a guerra se tornou inevitável após a invasão alemã à Polônia. Por isso, visando estimular a população, os países Aliados fizeram uma série de propagandas a partir de cartazes. Quem sabe eles também não te estimulam a seguir em frente e vencer o ENEM?

1. Fique Calmo(a) e Aguente Firme!

Em meio ao clima de guerra, para acalmar a população inglesa, foram criadas propagandas visando dar esperanças e estimulá-la na luta contra o expansionismo alemão, como o cartaz “Keep Calm and Carry On” (em tradução livre, “fique calmo e aguente firme”) que tomou as ruas da Inglaterra. Apesar das dificuldades, pouco depois do início da campanha com os cartazes, os ingleses conseguiram conter os ataques alemães na chamada Batalha da Inglaterra. Momento muito lembrado devido a famosa frase de Churchill: “Nunca tantos deveram a tão poucos”. Então, a partir de agora, sem desespero! Se os ingleses conseguiram “driblar” os alemães, por que você não conseguirá fazer o mesmo com o ENEM?

Keep Calm and Descomplica! 😉

2. A Todos(as) os(as) Vestibulandos(as)!

Como vocês já devem ter percebido, sempre tem aquela amiga falsiane, reprovânia e afins que fica querendo te botar pra baixo e fazer com que “aceite a derrota”. “Imagina, perder o ano estudando e não passar?” ou “Você sabe que esse curso é muito concorrido”. Não caia nessa! Parte da França caiu nessa “estratégia derrotista” após a invasão alemã ao território francês. Marechal Pétain, renomado por seus atos heróicos durante a Primeira Guerra Mundial, acabou sucumbindo às pressões nazistas e impedindo movimentos de resistência franceses, temendo retaliações alemães. Mas o General De Gaulle não se dobrou e manteve as propagandas e incentivos aos movimentos de resistência contra o nazismo. A França acabou finalmente libertada do domínio nazista no episódio conhecido como o Dia D (1944). Até hoje a existência de um governo colaboracionista, a França de Vichy, ao nazismo é um fato delicado para os franceses.

Carta de Charles de Gaulle aos franceses (1940)

3. Você consegue!

Mas eu nunca fiz a prova do ENEM, é minha primeira vez!” ou “Tenho filho pequeno para cuidar, não vou conseguir passar”, você já deve ter falado ou ouvido alguma dessas frases, né? Durante a Segunda Guerra Mundial, as mulheres ainda estavam muito restritas ao ambiente doméstico, cuidando dos filhos e maridos, fazendo compras para casa e etc. No entanto, devido às necessidades de guerra e de mais mão de obra nas indústrias, de forma que pudesse ser mobilizada a maior quantidade de pessoas possíveis na luta contra o Eixo, as mulheres dos países Aliados acabaram assumindo postos inimagináveis anteriormente e sendo muito bem-sucedidas neles. A atuação feminina na Segunda Guerra é vista como um dos pontos de virada (turning point) da guerra e extremamente importante para a vitória dos Aliados. Para lidar com os problemas domésticos, foram criadas creches e restaurantes comunitários, por exemplo. Na URSS, as mulheres, inclusive, pegaram em armas e também lutaram nos fronts! Tá vendo? Você também consegue! 😉

No cartaz dos EUA, Rosie, a rebitadeira, incentiva o trabalho feminino nas fábricas.

4. Nenhum passo para trás!

Diante das pressões, muitas vezes a única vontade que temos é de desistir e sair correndo. Os soldados que lutaram na Grande Guerra Patriótica da URSS também se sentiam assim. No entanto, diante do ataque prematuro de Hitler a URSS, quebrando o Pacto de Não-Agressão, em um momento em que o Exército Vermelho estava debilitado devido aos inúmeros expurgos realizados por Stálin, a estratégia soviética era seguir em frente contra o inimigo, não importando as circunstâncias. “Nenhum passo para trás!”. A URSS acabou conseguindo conter o avanço nazista na Frente Oriental e foi o primeiro país Aliado a chegar e dominar Berlim.

vodruzim_nad_berlinom

Propaganda soviética comemorando a tomada de Berlim.

Para saber mais sobre a Segunda Guerra Mundial, leia este resumo incrível e, depois, que tal testar seus conhecimentos resolvendo exercícios de vestibular sobre o assunto? 😉