• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Vamos te ensinar tudo sobre as divi$ões econômica$ pós-Guerra Fria. Preparado?

Olá! Vamos falar hoje sobre como as novas divisões econômicas foram feitas no cenário pós-Guerra Fria!

Durante o quase-conflito o mundo era dividido em bloco capitalista, socialista e o terceiro-mundo. Lembram disso? Com o fim da Guerra Fria, não faria mais sentido o mundo ficar dividido dessa forma, mediante a isto foi estabelecida uma nova Divisão Internacional do Trabalho, que engloba os países ainda em três grupos diferentes; desta vez, destacando suas características econômicas.

O primeiro grupo é o dos chamados países industrializados centrais. São os países que se desenvolveram industrialmente no século XX e que atualmente possuem o seu setor industrial muito bem estruturado e um avassalador mercado de consumo interno.
Estes países, nos dias de hoje, possuem um setor de tecnologia super inovador e com fortes investimentos no setor de pesquisa e desenvolvimento e suas indústrias atuais são as de grande destaque neste novo quadro.

Os grandes exemplos são: EUA, alguns países que compõem a União Europeia, Japão e o Canadá. Ah! Todos os membros do G7 estão nesse barco!

As divisões econômicas no pós-Guerra Fria

Essa galera aí tá nadando no dinheiro!

O segundo grupo são os ditos países industrializados semiperiféricos e adivinha quem faz parte deste time? Isso mesmo, o Brasil 😉
No geral, este grupo não tem muia expressividade na exportação de seus manufaturados e muitos deles funcionam como anexos de espaços industriais do grupo dos países centrais.

No caso brasileiro, nosso país se destaca por exportar bens industriais de baixa tecnologia e itens do setor agrícola, matérias primas do setor do extrativismo mineral e vegetal.
Um grupo especial merece destaque dentro dos semiperiféricos: os Tigres Asiáticos. Eles, diferentemente da maioria, tem sua produção voltada para o abastecimento internacional através da exportação de bens de alta tecnologia. Voces devem lembrar das nossas monitorias e dos módulos sobre os Tigres, que estes países investiram fortemente na educação criando uma mão de obra qualificada e que, se comparada com a dos países centrais, é mais barata.

As divisões econômicas no pós-Guerra Fria

Tigres Asiáticos: esse pessoal tem sangue nos olhos!

Outro grupo especial pertencente a este núcleo é o BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), que são os países emergentes que mais crescem e ganham relevância no cenário global. As estatísticas para este grupo são as melhores possíveis; prevê-se crescimentos mais significativos do que de muitos países importantes da União Europeia e chances reais da China ser maior do que os EUA. Claro que, com estas mudanças econômicas que temos vivido nos últimos 5 anos, o ritmo de crescimento deste grupo tende a dar uma desacelerada.

Por último, e não menos importante, tem a galera periférica.
Dentro deste grupo temos alguns países asiáticos, uma parte da América Latina e muuuuuuitos países da África.
Esse núcleo tem uma industrialização quase insignificante e com baixa participação no mercado mundial e a característica comum de todos eles consiste na exportação de produtos primários.

As divisões econômicas no pós-Guerra Fria

Como se não bastasse a exclusão industrial vivida por este grupo, a bolsa das commodities e suas cotações são feitas pelos países centrais. Este fator, por si só, já sinaliza um problema: por que que países com características industriais comandam a bolsa das commodities? Ainda dá para piorar: as cotações, feitas pelos países centrais, são constantemente depreciativas, ou seja, os gêneros primários possuem pouco valor no mercado internacional. Além disto, os periféricos enfrentam a concorrência dos produtos primários dos países ricos, que fornecem importantes subsídios para seus produtores.

Gente, ficamos por aqui. Não se esqueçam de comentar e voltar aqui sempre que possível, beleza?
Um beijão!