• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Fenômenos Atmosféricos e Fontes de Energia – Parte 1

Olá, boa noite, meus nerds queridos! 🙂

Aproveitaram bastante o final de semana? Espero que sim! Agora é a hora de voltar a rotina de estudos para seguir firme e forte na busca por ótimas notas nos vestibulares.

O tema de hoje são os fenômenos atmosféricos e as suas relações com as fontes de energia. Muita atenção, hein? Esse assunto é extremamente importante para qualquer prova de vestibular. Nessa primeira parte, falaremos sobre o efeito estufa e a inversão térmica. Já na segunda parte, iremos analisar as ilhas de calor, chuva ácida e a destruição da camada de ozônio.

E aí, preparados? Então, vamos lá! 🙂

1) Efeito Estufa:

O fenômeno do efeito estufa tem ajudado a aumentar a temperatura do planeta nas últimas décadas. Pesquisadores climáticos chegam a afirmar que em um futuro próximo o aumento de temperatura provocado pelo efeito estufa poderá levar ao derretimento das calotas polares e ao consequente aumento do nível dos mares, fazendo com que cidades litorâneas desaparecam do mapa.

O efeito estufa é gerado a partir da destruição de florestas e do processo de queima das mesmas, visto que são elas as reguladoras de temperatura, dos ventos e do nível de chuvas em diversas regiões. Como as florestas estão diminuindo no planeta, a temperatura terrestre tem aumentado na mesma proporção.

Outro fator responsável por gerar o efeito estufa é o lançamento de gases poluentes na atmosfera, principalmente aqueles que são resultado da queima de combustíveis fósseis. A queima de óleo diesel e gasolina nos grandes centros urbanos, por exemplo, tem ajudado para o aumento do efeito estufa. O gás carbônico e o monóxido de carbono ficam concentrados em determinadas regiões da atmosfera formando uma camada que inibe a dissipação do calor. Tal camada de poluentes funciona como um isolante térmico o planeta Terra. O calor fica retido nas camadas mais inferiores da atmosfera ocasionando graves problemas a sociedade.

Preocupados com os diversos problemas que podem ser ocasionados a partir do efeito estufa, organismos internacionais, como as ONG’s, e governos de vários países já estão trabalhando com medidas para reduzir a poluição ambiental e a emissão de gases na atmosfera. O Protocolo de Kyoto, assinado por diversas nações em 1997, prevê a redução da emissão de gases poluentes para os próximos anos. Entretanto, países como os Estados Unidos, maior emissor de gases poluentes do planeta, têm dificultado o avanço desses acordos, alegando que a redução da emissão de gases poluentes poderia dificultar o progresso das indústrias no país.

2) Inversão Térmica:

O fenômeno da inversão térmica acontece, principalmente, nos grandes centros urbanos, que são regiões onde o nível de poluição é bastante acentuado. A inversão térmica ocorre quando há uma alteração forte de temperatura devido à inversão das camadas de ar frias e quentes.

A camada de ar fria, por ser mais pesada, acaba por descer, ficando em uma região próxima a superfície terrestre, acumulando os poluentes. O ar quente, por ser mais leve, fica na camada superior, impedindo a dispersão desses poluentes. Esse fenômeno climático pode acontecer em qualquer época do ano, mas é no inverno que ele é mais comum.

A inversão térmica afeta diretamente na saúde da população, provocando doenças respiratórias, cansaço, entre outros problemas de saúde. Pessoas com bronquite e asma, por exemplo, são as mais afetadas pelo fenômeno.

Soluções para a diminuição dos efeitos da inversão térmica estão diretamente ligados à adoção de políticas ambientais eficientes que visem diminuir o nível de poluição do ar nas grandes cidades. A substituição de combustíveis fósseis por biocombustíveis ou energia elétrica poderia reduzir bastante o problema. Campanhas públicas visando a conscientização das pessoas sobre a necessidade de trocar o transporte particular pelo coletivo, assim como a fiscalização nas áreas onde acontecem queimadas irregulares também contribuiriam muito nesse sentido.

*

E aí, descomplicou? Espero que tenham gostado! 🙂

Fiquem atentos que em breve vem a parte 2, falando sobre as ilhas de calor, chuva ácida e destruição da camada de ozônio.

Até a próxima! Bons estudos! 🙂