• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Aula ao Vivo: Revolução Verde e a Agricultura Brasileira

Hoje tem aula de Revolução Verde e a Agricultura Brasileira com o professor Claudio Hansen! Não fique fora dessa aulas incrível. Baixe o material de apoio e consulte os horários aqui no post! 😛

tumblr_Blog-320x320px_Hansen
Geografia: Revolução Verde e a Agricultura Brasileira
Turma da Manhã: 10:15 às 11:15, com o professor Claudio Hansen.
Turma da Noite: 19:45 às 20:45, com o professor Claudio Hansen.

Faça download do material clicando aqui embaixo 😀

Material de Aula ao Vivo
Lista de Exercícios

MATERIAL DE AULA AO VIVO

Relação entre produção e área plantada no brasil – 1980 – 2008

g1
1. O gráfico mostra a relação de produção de cereais, leguminosas e oleaginosas com a área plantada no Brasil, no período de 1980 a 2008. Verifica-se uma grande variação de produção em comparação à área plantada, o que caracteriza o crescimento da
a) economia.
b) área plantada.
c) produtividade.
d) sustentabilidade.
e) racionalização.
2. Que transformação ocorrida na agricultura brasileira, nas últimas décadas, justifica as variações apresentadas no gráfico?
a) O aumento do número de trabalhadores e menor necessidade de investimentos.
b) O progressivo direcionamento da produção de grãos para o mercado interno.
c) A introdução de novas técnicas e insumos agrícolas, como fertilizantes e sementes geneticamente modificadas.
d) A introdução de métodos de plantio orgânico, altamente produtivos, voltados para a exportação em larga escala.
e) O aumento no crédito rural voltado para a produção de grãos por camponeses da agricultura extensiva.
Gabarito

1. C
2. C

 

LISTA DE EXERCÍCIOS

1. Leia o texto a seguir:
“No Brasil e em boa parte da América Latina, o crescimento da produção agrícola foi baseado na expansão da fronteira, ou seja, o crescimento sempre foi feito a partir da exploração contínua de terras e recursos naturais, que eram percebidos como infinitos. O problema continua até hoje. E a questão fundiária está intimamente ligada a esse processo, em que a terra dá status e poder, com o decorrente avanço da fronteira da produção agrícola, que rumou para a Amazônia, nos últimos anos. ”

(Berta Becker, IPEA, 2012.)

Com base no texto e no conhecimento sobre a expansão da fronteira agrícola no Brasil, é correto afirmar que:
a) a agropecuária modernizada no Brasil priorizou a produção de alimentos em detrimento dos gêneros agrícolas de exportação. Esse fato contribuiu para o avanço das fronteiras agrícolas em parte da Amazônia localizada no Meio-Norte.
b) houve grande destruição tanto das florestas como da biodiversidade genética, ambas causadas pelas transformações da produção agrícola monocultora, além de complexos impactos socioeconômicos determinados pelo modelo agroexportador.
c) a maior parte das terras ocupadas no Brasil concentra-se nas mãos de pequeno número de proprietários os quais vêm desenvolvendo mecanismos tecnológicos para evitar os impactos ambientais causados pelo avanço do cinturão verde, sobretudo no Sul do Piauí.
d) as atividades do agrobusiness no Brasil, com destaque para a produção de soja, vêm provocando uma rápida expansão agrícola do Rio Grande do Sul até o Vale do São Francisco, sem causarem prejuízo aos seus recursos naturais.
e) com o aumento da concentração fundiária nas últimas décadas, a expansão das terras cultivadas obteve uma grande retração agropecuária em decorrência das inovações tecnológicas, desenvolvidas no campo brasileiro, apesar dos impactos ambientais.
2.
g2

Disponível em: http://nutriteengv.blogspot.com.br. Acesso em: 28 dez. 2011.

Na charge faz-se referência a uma modificação produtiva ocorrida na agricultura. Uma contradição presente no espaço rural brasileiro derivada dessa modificação produtiva está presente em:
a) Expansão das terras agricultáveis, com manutenção de desigualdades sociais.
b) Modernização técnica do território, com redução do nível de emprego formal.
c) Valorização de atividades de subsistência, com redução da produtividade da terra.
d) Desenvolvimento de núcleos policultores, com ampliação da concentração fundiária.
e) Melhora da qualidade dos produtos, com retração na exportação de produtos primários.
3. No Estado de São Paulo, a mecanização da colheita de cana de açúcar tem sido induzida também pela legislação ambiental, que proíbe a realização de queimadas em áreas próximas aos centros urbanos. Na região de Ribeirão Preto, principal polo sucroalcooleiro do país, a mecanização da colheita já e realizada em 516 mil dos 1,3 milhão de hectares cultivados com cana de açúcar.

BALSADI, Q. et al. Transformação Tecnológica e a forca de trabalho
na agricultura brasileira no período de 1990-2000.
Revista de economia agrícola, V. 49 (1), 2002.

O texto aborda duas questões, uma ambiental e outra socioeconômica, que integram o processo de modernização da produção canavieira. Em torno da associação entre elas, uma mudança decorrente desse processo é a:
a) perda de nutrientes do solo devido a utilização constante de máquinas.
b) eficiência e racionalidade no plantio com maior produtividade na colheita.
c) ampliação da oferta de empregos nesse tipo de ambiente produtivo.
d) menor compactação do solo pelo uso de maquinário agrícola de porte.
e) poluição do ar pelo consumo de combustíveis fósseis pelas máquinas.

4.

g3

SILVA, E. S. Circuito espacial de produção e comercialização da produção familiar de tomate no município de São Jose de Ubá (RJ). In: RIBEIRO, M. A.; MARAFON, G. J. (orgs.) A metrópole e o interior fluminense: simetrias e assimetrias geográficas. Rio de Janeiro. Gramma, 2009 (adaptado).

O organograma apresenta os diversos atores que integram uma cadeia agroindustrial e a intensa relação entre os setores primário, secundário e terciário. Nesse sentido, a disposição dos atores na cadeia agroindustrial demonstra:
a) a autonomia do setor primário.
b) a importância do setor financeiro.
c) o distanciamento entre campo e cidade.
d) a subordinação da indústria a agricultura.
e) a horizontalidade das relações produtivas.
5. Considere as tabelas para responder a questão.
Brasil: Estrutura Fundiária

g4

(http://www2.fct.unesp.br/nera/atlas/estrutura_fundiaria.htm).

Com base na análise da tabela e nos conhecimentos sobre as transformações do espaço agrário brasileiro, pode-se afirmar que, no período selecionado,
a) o aprofundamento das relações capitalistas no campo preservou a grande propriedade, mas fragmentou a média e a pequena propriedade.
b) a distribuição mais equitativa das propriedades reduziu a dependência do campo em relação à cidade, o que significa estagnação da modernização.
c) a reorientação da estrutura fundiária deve ser entendida no bojo das transformações do setor agrário e da solidificação do campesinato.
d) o traço marcante da estrutura fundiária brasileira, que e a concentração de terras, foi reduzido em razão do aumento da participação da pequena propriedade.
e) a expansão das relações capitalistas no campo contribuiu para o crescimento das pequenas propriedades em detrimento das grandes.

 
Gabarito

1. B
2. A
3. B
4. B
5. A