• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Green is The New Black: 5 Relações entre Reprodução e OITNB

Eu fui deixada com fome, apalpada, zuada, perseguida, ameaçada e chamada de Taylor Swift.

 

♪ The animals, the animals, trapped trapped trapped till the cage is full/Os animais, os animais, presos presos presos até que a jaula esteja cheia ♪… Então, gente, Orange Is The New Black é uma das séries de maior sucesso atualmente, e é recheada de aspectos interessantes que podemos abordar para ajudar vocês no vestibular. Hoje, vamos explorar alguns temas da série que estão relacionados a Reprodução, em especial o Sistema Reprodutor Feminino, o que acredito que não seja nenhuma surpresa a ninguém. 😛

Ah, vale lembrar, quem não assistiu ainda todas as temporadas, duas coisinhas.

Em primeiro lugar, a Red está te julgando por isso.

Em segundo,

SPOILERS! Não vale dizer que foi falta de aviso, hein!

Agora vamos ao que interessa.

 

1) Daya, Bennett e Reprodução Sexuada

Um dos maiores dramas da série ocorre no núcleo das latinas, e se trata da gravidez de Dayanara, após um relacionamento às escondidas com Bennett, um dos guardas.

A parte óbvia é a seguinte: Seres humanos se reproduzem de forma sexuada, isso é, ocorre troca de material genético, que, no nosso caso, é através da combinação dos gametas produzidos pelo homem e pela mulher.

Trata-se de uma reprodução de velocidade lenta (a gestação não é um processo muito rápido, concordam? Hahaha) e altamente custoso em termos de energia (qualquer grávida vai te confirmar isso), ao contrário da reprodução assexuada, que é bastante rápida e relativamente barata, no que diz respeito ao seu curso energético. Então qual é a vantagem de se reproduzir assim? A variabilidade genética.

No caso da espécie humana, cada gameta (normal) vai conter 23 cromossomos (22 autossomos + 1 cromossomo sexual), e cada gameta é diferente do outro, devido a recombinações e divisões ocorridas no processo de formação destes gametas. Isso acarreta em inúmeras vantagens, como diminuir as chances de erros ocasionados por mutações se alastrarem pela população e gera substrato para a ação da Seleção Natural, contribuindo com a evolução da espécie! 😉

 

2) Sophia e os Hormônios

Sophia é uma transexual, presa em Litchfield após ser dedurada por seu próprio filho em um esquema de fraudes de cartão de crédito. Durante a série, podemos ver que ela precisa tomar hormônios regularmente, para inibir características masculinas e manifestar características femininas.

Isso acontece porque as concentrações hormonais em homens e mulheres são diferentes. Os hormônios femininos principais são o estrogênio e a progesterona, que são fabricados nos ovários, e ele controlam a ovulação, o desenvolvimento dos seios, a formação dos quadris, o ciclo menstrual, entre outras funções.

Outros dois hormônios importantes para as mulheres, relacionados a fertilidade, são o FSH e o LH, que veremos com mais detalhes no próximo tópico!

 

3) Menstruação

É um tópico relativamente frequente, tanto na série quanto no vestibular, então eu diria que é um item de extrema importância.

Primeiramente, os três principais agentes são a hipófise, os ovários (com os folículos ovarianos) e a parede interna do útero, o endométrio.

O ciclo menstrual padrão dura 28 dias, mas isso não é uma coisa fixa, podendo variar de acordo com o organismo da mulher.

O ciclo menstrual começa no dia em que a menstruação desce. A hipófise começa a amadurecer um novo folículo ovariano através da secreção do hormônio FSH, que também estimula a produção do estrogênio. Esse estrogênio vai estimular a proliferação de vasos do endométrio e voltará a hipófise para estimular a secreção do segundo hormônio hipofisário, o LH. O LH tem como objetivo principal agir junto ao FSH para promover a ovulação, por volta do 14º dia, e ele também inibe o estrogênio, logo após ele transforma o folículo rompido em uma nova estrutura secretora, que é denominada corpo lúteo, que produzirá o último hormônio do ciclo, a progesterona. A progesterona manterá esse endométrio espesso para caso haja a fecundação. A progesterona inibe o FSH e o LH, inibindo múltiplas ovulações, porém, isso acarreta na degradação do corpo lúteo, e, com isso, a progesterona desce, resultando na descamação do endométrio, descendo o sangue e reiniciando o ciclo.

Essas complexas alterações hormonais podem acabar afetando também o sistema nervoso central, acarretando naquilo que todos conhecem: a TPM.

“Claro, atribua meus legítimos sentimentos de tristeza à TPM!” Não façam isso, gente, vacilo total.

 

4) Anatomia Feminina 101 com Sophia

Ouçam e aprendam.

Ouçam e aprendam.

Sophia deu um show de conhecimento em anatomia quando as meninas de Litchfield mostraram não saber de onde saia seu xixi, mas nós vamos além e vamos detalhar os bastidores.

No Sistema Reprodutor Feminino, a parte mais importante são os ovários, glândulas mistas que produzem o ovócito e produz hormônios importantes que já vimos, como estrogênio e progesterona. 🙂

A mulher nasce com aproximadamente 10000 folículos ovarianos, e, a cada mês, um destes se rompe, liberando um ovócito II, no fenômeno da ovulação. Ele então é captado na tuba uterina, vai descendo pelo oviducto, sendo carregado por batimentos ciliares e peristaltismo, e na porção superior da tuba uterina é onde ocorre a maior parte das fecundações, até que então o óvulo não fecundado ou o embrião chegam ao útero. A parte interna do útero, a mais importante, é o endométrio, repleto de vasos sanguíneos, que a cada mês, durante o ciclo menstrual, se preparará para a chegada de um embrião. Caso não haja gravidez, ocorre a descamação do endométrio, que será eliminado pela vagina, um canal curto (de até uns 15 cm). A vagina é um canal “multi-uso”, servindo para a reprodução, para a menstruação, para o parto, e, como Sophia brilhantemente explicou na série, NÃO SERVE para excreção, deixem isso para a uretra. 😉

 

5) Vee e a Menopausa

“Quem é você?” “Eu sou a Vee”

Lembram da Vee? Queriam não lembrar? É, eu também. Ainda bem que… ENFIM! Em um dos flashbacks, a Vee está passando pela menopausa. Vocês provavelmente já estão familiarizados com a palavra, mas o que é isso, exatamente?

É o seguinte: A menopausa é o período fisiológico após a última menstruação da mulher, nos quais estão sendo encerrados os ciclos menstruais dela. A menstruação vai ficando cada vez mais escassa, até que se encerra de vez, e o organismo então deixa de produzir o estrogênio e a progesterona. A fase de transição que antecede a menopausa é conhecida como climatério. Alguns sintomas comuns são a falta e menstruação, ondas de calor, suores noturnos, insônia, diminuição do desejo sexual, perda de massa óssea (as mulheres idosas são uma grande parcela dos afetados pela osteoporose), entre outros. É apenas mais uma fase na vida da mulher, mas os sintomas da menopausa citados, como o calor, a insônia, a diminuição de libido, entre outros, pode ser contornados por tratamento hormonal (que inclusive é uma alternativa adotada por uma das detentas de idade mais avançada, a Irmã Jane.)

É isso, gente. Mais uma vez, podemos ver que é possível relacionar aquilo que usamos para nos distrair com aquilo que vemos ao estudar. Espero que essa lista ajude vocês a entender melhor sobre a Reprodução, e nos vemos na próxima!