• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Exercício Resolvido: Evolução

Banner-Blog_monitoria_1349x504px_exercicio-Resolvido

Para responder essa questão, assista uma aula sobre Evolução.

Muitas pessoas cometem erros peculiares ao discutir o tema Evolução. Vejo, inclusive, diversos canais que dão explicações erradas sobre este tema. É muito comum ouvirmos que um determinado organismo “teve que se adaptar ao novo ambiente”, como se ele tivesse adquirido tais características para que pudesse sobreviver. Isso não é uma verdade, já que nenhum organismo adquire, só porque precisa, uma característica. Outro erro é falar que ‘’o mais forte sobrevive’’. Na verdade, o melhor adaptado sobrevive. Esta característica adaptativa vem, por acaso, através de mutações. Vejamos a seguinte questão da Fuvest que aborda este tema:

1. (FUVEST) A bactéria Streptococcusiniae afeta o cérebro de peixes, causando a “doença do peixe louco”. Apartir de 1995, os criadores de trutas de Israel começaram a vacinar seus peixes. Apesar disso, em 1997, ocorreu uma epidemia causada por uma linhagem de bactéria resistente à vacina. Os cientistas acreditam que essa linhagem surgiupor pressão evolutiva induzida pela vacina, o que quer dizer que a vacina:

a) induziu mutações específicas nas bactérias, tornando-as resistentes ao medicamento.
b) induziu mutações específicas nos peixes, tornando-os suscetíveis à infecção pela outra linhagem de bactéria.
c) causou o enfraquecimento dos órgãos dos peixes, permitindo sua infecção pela outra linhagem de bactéria.
d) levou ao desenvolvimento de anticorpos específicos que, ao se ligarem às bactérias, tornaram-nas mais agressivas.
e) permitiu a proliferação de bactérias mutantes resistentes,ao impedir o desenvolvimento das bactérias da linhagem original.

GABARITO

Inicialmente, a bactéria Streptococcusiniae não possuía a característica de resistência a vacina. Sendo assim, todas morreram. Entretanto, em 1997, uma nova infestação ocorreu com bactérias que haviam sofrido mutações que permitiam que as mesmas resistissem a vacina. Com isso, após a aplicação da vacina, somente as bactérias resistentes sobreviveram e, consequentemente, reproduziram-se. Uma observação: antes da vacina, o número de bactérias resistentes não aumentou porque elas competiam com as bactérias não resistentes. Entretanto, com o uso da vacina, as não resistentes morreram, não havendo mais competição entre os dois tipos de bactérias. Sendo assim, a única opção que condiz com a explicação acima é a letra E, na qual é constatado que a a vacina permitiu  a proliferação de bactérias mutantes resistentes, ao impedir o desenvolvimento das bactérias da linhagem original.