• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Aula ao Vivo: Tecidos Epiteliais e Conjuntivos

Hoje teremos uma aula incrível sobre Tecidos Epiteliais e Conjuntivos com os professores Alexandre Bandeira e Rubens Oda! Essa aula você, definitivamente, não pode perder! 😉 Confira os horários e dias das aulas aqui no post e aproveite para baixar o material de apoio! 😀

tumblr_Blog-320x320px_Oda-e-Bandeira
Biologia: Tecidos Epiteliais e Conjuntivos
Turma da Manhã: 9:00 às 10:00, com o professor Alexandre Bandeira
Turma da Noite: 18:30 às 19:30, com o professor Rubens Oda

Baixe o material de apoio, é só clicar aqui embaixo 😛

Material de Aula ao Vivo
Lista de Exercícios

MATERIAL DE AULA AO VIVO

O termo histologia (do grego hystos = tecido + logos = estudo) refere-se ao estudo dos tecidos biológicos de animais e plantas, sua formação, estrutura e função. As células agrupadas com as mesmas características formam um tecido. Existem quatro tipos de tecidos animais – epitelial, conjuntivo, nervoso e muscular – e cada um desses tipos principais apresenta variações. Um órgão geralmente é composto por vários tipos de tecidos

bio4
O tecido epitelial possui células justapostas com fina camada de substância intercelular, quase inexistente em alguns casos. É um tecido avascular, por isso é dependente do tecido conjuntivo subjacente, que possui vasos sanguíneos, com o qual faz trocas metabólicas por difusão. Existe uma membrana basal entre os tecidos, que possibilita esta troca, sem espaços intercelulares.
O epitélio está localizado na epiderme, onde ele é responsável pela proteção contra atritos e traumas, desidratação e agentes nocivos existentes no ambiente externo; e também nos epitélios internos, que envolvem os órgãos e têm funções como absorção de água e alimentos, trocas respiratórias e secreção. Há também os epitélios secretores ou glandulares, com objetivos específicos de produção de suor, sebo, lágrimas, muco, leite e sucos digestivos.

Os epitélios podem ser classificados com base em diferentes critérios:
Forma das células: Pavimentosos (Exemplo: endotélio é fino, de espessura variável, reveste o coração, vasos sanguíneos e vasos linfáticos. Os mais finos capilares sanguíneos e têm a parede formada apenas pelo endotélio); Cúbicos; Cilíndricos (prismáticos). Pode ainda ter formato que muda de acordo com a ação de um órgão, como a bexiga que pode estar mais esticada ou murcha, nesse caso, chamamos de tecido epitelial de transição.
De acordo com o número de células, o epitélio glandular pode ser unicelular, como as glândulas caliciformes presentes na traqueia ou multicelulares, como a glândula salivar. As glândulas multicelulares classificam-se quanto ao local onde a secreção é lançada: (1) endócrinas, diretamente nos vasos sanguíneos, por exemplos os hormônios; (2) exócrinas, fora do corpo ou no interior de cavidades, por exemplo, as glândulas sudoríparas; (3) mistas, glândulas que tanto podem ser endócrinas como exócrinas, como por exemplo, o pâncreas.
Número de camadas celulares: Simples: apenas uma camada celular; Estratificados: várias camadas; Pseudoestratificados: mais raros, com uma só camada de células de diferentes alturas e os de transição (mistos), com poucas camadas, sendo as células superficiais diferentes das basais.
Funções: Ectoderme: epitélios de revestimento externos (epiderme, boca, fossas nasais, orifício retal). Endoderme: epitélio de revestimento do tubo digestivo, da árvore respiratória, do fígado e do pâncreas. Mesoderme: endotélio (vasos sanguíneos e linfáticos) e mesotélio (revestimento de serosas).

O tecido conjuntivo estabelece e mantém a forma do corpo, sendo responsável pela ligação entre células e órgãos; suporte mecânico a estas entidades, organizando-as da forma correta. O tecido conjuntivo possui três componentes: fibras, células e substância fundamental, com predominante presença da matriz extracelular (fibras + substância fundamental). As diferentes quantidades e qualidades desses é o que define as características e funções de cara tipo de tecido conjuntivo.
As principais células existentes no tecido conjuntivo são: os fibroblastos (controlam o crescimento e a diferenciação celular), os leucócitos (defesa, produtores de anticorpos) e as células adiposas (estocam gordura, para reserva energética).
Encontramos o tecido conjuntivo em tendões e ligamentos, aponeuroses, cápsulas envolvendo órgãos, membranas orgânicas e constituindo o estroma (tecido de sustentação) dos órgãos.
Existem quatro tipos de tecido conjuntivos:

Tecido conjuntivo propriamente dito: faz a estruturação e o suporte. Pode ser frouxo ou denso. O frouxo suporta estruturas que estão sujeitas a pequenos atritos e pressão, preenchendo espaços entre células, suportando células epiteliais e em torno dos vasos sanguíneos e nas membranas serosas. O denso, de mesma composição que o frouxo, possui menor quantidade de células e abundantes fibras colágenas, oferecendo assim resistência e proteção ao tecido. É menos flexível e mais resistente à tensão.
Tecido Adiposo: composto por células adiposas. Ele é o maior depósito corporal de energia, armazenada em forma de lipídios. Serve para modelar a superfície do corpo, sendo responsável pelas diferenças da silhueta masculina e feminina. Ele também forma coxins sobre a pele, oferecendo importante proteção contrachoques mecânicos, por exemplo, na planta dos pés, na palma das mãos e nas nádegas. E como a gordura não é bom condutor de calor, o tecido adiposo constitui ainda um isolante térmico para o corpo.
Tecido Cartilaginoso: com consistência rígida, oferece suporte para os tecidos moles. Reveste também as superfícies articulares, absorvendo choques e facilitando o deslizamento dos ossos nas articulações. É o principal constituinte dos ossos no feto e no recém-nascido, diferenciando-se em tecido ósseo e promovendo o crescimento da criança.
Tecido Ósseo: constitui os ossos, o principal constituinte do esqueleto. Dá suporte ao corpo e protege órgãos vitais, exemplo do cérebro na caixa craniana e os pulmões e o coração na caixa torácica. É o apoio dos músculos esqueléticos, proporcionando movimentos úteis aos membros. Também é o responsável por proteger e alojar a medula óssea, formadora das células sanguíneas. Ainda tem a função de depositário de cálcio, fosfato e outros íons, possibilitando regular a liberação destes no sangue quando necessário.

1. Analise a figura a seguir.

bio5

Fonte: JUNQUEIRA, L. C.& CARNEIRO, J. Biologia Celular e Molecular. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000. p. 295.

Com base na figura e nos conhecimentos sobre o tema, assinale a alternativa correta:
a) A pele negra, representada pela figura de número III, não tem necessidade de produzir melanócitos quando em contato com os raios ultravioleta.
b) Os indivíduos de pele albina estão representados pela figura II, pois, em contato com os raios ultravioleta produzem uma quantidade intermediária de melanócitos como consequência de problemas enzimáticos.
c) Os indivíduos de pele clara estão representados pela figura I, o que justifica o fato da pele destas pessoas, quando em contato com os raios ultravioleta, ficarem vermelhas.
d) As células epiteliais da epiderme contêm quantidade variável do pigmento melanina, colocado como um capuz sobre o lado do núcleo celular que está voltado para o exterior, de onde vêm os raios ultravioleta.
e) Tumores malignos originados de células epiteliais de revestimento podem ser causados pela falta de exposição ao sol.
2. A água é um dos componentes mais importantes das células. A tabela a seguir mostra como a quantidade de água varia em seres humanos, dependendo do tipo de célula. Em média, a água corresponde a 70% da composição química de um indivíduo normal.
bio6
Enquanto intacta, essa amostra pesava 200 mg. Após secagem em estufa, quando se retirou toda a água do tecido, a amostra passou a pesar 80 mg. Baseado na tabela pode-se afirmar que essa é uma amostra de
a) tecido nervoso – substância cinzenta.
b) tecido nervoso – substância branca.
c) hemácias.
d) tecido conjuntivo.
e) tecido adiposo.
3. A produção de soro antiofídico é feita por meio da extração da peçonha de serpentes que, após tratamento é introduzida em um cavalo. Em seguida são feitas sangrias para avaliar a concentração de anticorpos produzidos pelo cavalo. Quando essa concentração atinge o valor desejado, é realizada a sangria final para obtenção do soro. As hemácias são devolvidas ao animal, por meio de uma técnica denominada plasmaferese, a fim de reduzir os efeitos colaterais provocados pela sangria.

A plasmaferese é importante, pois, se o animal ficar com uma baixa quantidade de hemácias, poderá́ apresentar
a) febre alta e constante.
b) redução de imunidade.
c) aumento da pressão arterial.
d) quadro de leucemia profunda.
e) problemas no transporte de oxigênio.
Gabarito

1. D
2. D
3. E

 

LISTA DE EXERCÍCIOS]

1. Um agrupamento de células diferenciadas e especializadas na execução de uma função biológica denomina-se tecido, que são classificados em tecido epitelial, conjuntivo, muscular e nervoso. São os tecidos que constituem os órgãos e estes constituem os sistemas. Os sistemas por sua vez, comandam as atividades vitais nos seres vivos.

Nesse contexto, é incorreto afirmar que o tecido epitelial
a) constitui-se de dois tipos básicos: o primeiro, de revestimento ou protetor e o segundo, glandular ou secretor.
b) é formado por células justapostas, geralmente poliédricas, e apresenta escassez de substâncias intercelulares, tendo como principal função revestir e proteger as superfícies do organismo.
c) apresenta elevada quantidade de substância intercelular e suas células possuem formas e funções bastante variadas com diversas especializações.
d) pode ser classificado quanto ao número de camadas e ao formato das células, tais como: pavimentoso simples e estratificado, cúbico simples e estratificado e prismático simples.
e) é identificado no revestimento da traqueia e dos brônquios como pseudo-estratificado e no revestimento interno da bexiga como estratificado de transição.
2. Para amenizar rugas e vincos na pele sem intervenção do bisturi, os médicos contam com algumas substâncias como o colágeno, o silicone e os ácidos (Restylane e afins), que apresentam atividade fraca quando aplicadas na pele por uso externo, mas mostram bons resultados quando injetadas na derme. Assinale a alternativa que apresenta a explicação correta.
a) A derme é a camada mais externa da pele, e sua localização facilita a atuação das substâncias, que vão atuar no tecido epitelial.
b) A derme, composta de tecido conjuntivo, é quem confere elasticidade e resistência à pele, e a aplicação interna dessas substâncias atua no preenchimento dos locais falhos.
c) A perfeita união entre as células epiteliais faz com que o epitélio seja totalmente impermeável à água e a essas substâncias.
d) As substâncias, quando aplicadas pelo uso externo, estimulam a duplicação das camadas do tecido epitelial da derme, mas a camada de queratina não permite que atuem na derme.
e) As glândulas exócrinas presentes no tecido epitelial atuam como barreiras físicas e químicas, impedindo a passagem das substâncias até a derme, evitando sua atividade.
3. Um paciente deu entrada em um pronto-socorro apresentando os seguintes sintomas: cansaço, dificuldade em respirar e sangramento nasal. O médico solicitou um hemograma ao paciente para definir um diagnóstico. Os resultados estão dispostos na tabela:

Relacionando os sintomas apresentados pelo paciente com os resultados de seu hemograma, constata-se que
a) o sangramento nasal é devido à baixa quantidade de plaquetas, que são responsáveis pela coagulação sanguínea.
b) o cansaço ocorreu em função da quantidade de glóbulos brancos, que são responsáveis pela coagulação sanguínea.
c) a dificuldade respiratória decorreu da baixa quantidade de glóbulos vermelhos, que são responsáveis pela defesa imunológica.
d) o sangramento nasal é decorrente da baixa quantidade de glóbulos brancos, que são responsáveis pelo transporte de gases no sangue.
e) a dificuldade respiratória ocorreu pela quantidade de plaquetas, que são responsáveis pelo transporte de oxigênio no sangue.
4. O osso, apesar da aparente dureza, é considerado um tecido plástico, em vista da constante renovação de sua matriz. Utilizando-se dessa propriedade, ortodontistas corrigem as posições dos dentes, ortopedistas orientam as consolidações de fraturas e fisioterapeutas corrigem defeitos ósseos decorrentes de posturas inadequadas. A matriz dos ossos tem uma parte orgânica proteica constituída principalmente por colágeno e uma parte inorgânica constituída por cristais de fosfato de cálcio, na forma de hidroxiapatita.

Com base no texto e nos conhecimentos sobre tecido ósseo, é correto afirmar:
a) A matriz óssea tem um caráter de plasticidade em razão da presença de grande quantidade de água associada aos cristais de hidroxiapatita.
b) A plasticidade do tecido ósseo é resultante da capacidade de reabsorção e de síntese de nova matriz orgânica pelas células ósseas.
c) O tecido ósseo é considerado plástico em decorrência da consistência gelatinosa da proteína colágeno que lhe confere alta compressibilidade.
d) A plasticidade do tecido ósseo, por decorrer da substituição do colágeno, aumenta progressivamente, ao longo da vida de um indivíduo.
e) A matriz óssea é denominada plástica porque os ossos são os vestígios mais duradouros que permanecem após a morte do indivíduo.
5. Tecido conjuntivo que forma o esqueleto de alguns animais vertebrados como o tubarão e a raia, que se caracteriza por apresentar resistência e flexibilidade, além de ser o único tecido conjunto avascular. Estamos falando do tecido conjuntivo:
a) epitelial
b) ósseo
c) cartilaginoso
d) propriamente dito
e) hematopoiético

Gabarito

1. C
2. B
3. A
4. B
5. C