• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Atualidades: O fenômeno El Niño

O fenômeno El Niño deve voltar a ocorrer na virada de 2014/15, mas, apesar das expectativas iniciais, segundo indicadores mais recentes, terá intensidade moderada ou fraca. E também pode cair no seu vestibular. Por isso, o Descomplica preparou uma aula sobre o assunto para você estudá-lo e mandar bem na sua prova.

O fenômeno corresponde ao aquecimento anormal das águas do Pacífico Leste. O normal é que as águas superficiais do Pacífico, aquecidas pelo sol, sejam empurradas na direção da Indonésia pelos ventos alísios, que sopram de leste para oeste. Por motivos desconhecidos, porém, em alguns anos esses ventos se enfraquecem. O bolsão de água quente se desloca para a costa ocidental da América do Sul e provoca chuvas sobre uma região usualmente seca.

Atualidades: O fenômeno El Niño

Os efeitos planetários desse fenômeno são vários. Afetará toda a América do Sul com fortes chuvas e inundações no Equador, Peru, Chile e norte da Argentina, comprometendo a pesca no litoral do Peru e do Chile, secas na Indonésia e na Austrália e atraso e enfraquecimento das chuvas de monção na Índia.

CONFIRA A NOVA PÁGINA DO DESCOMPLICA: GABARITO ENEM 

No Brasil, os maiores estragos causados pelo fenômeno se concentram no Nordeste e na Amazônia, onde ocasiona estiagens graves. A perspectiva de um El Niño forte preocupa porque o semiárido nordestino acaba de atravessar dois anos de seca (2012-13). Foi a pior dos últimos 80 anos. A precipitação ficou abaixo da média de abril de 2012 até março deste ano.