• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Assunto ≠ Tema

Olá, pessoal! Como estão os estudos? Vocês têm praticado as dicas que venho postando aqui? Deixem comentários sempre, e dúvidas também!

Bem, eu disse que falaria hoje sobre o entendimento do tema. Pode parecer um tópico irrelevante, mas é preciso entender que a fuga (total ou parcial) ao tema é um dos erros mais cometidos pelos candidatos nas redações de vestibulares. É preciso ter em mente o seguinte: assunto é diferente de tema! Observem:

Assunto -> Abrangente; panorama geral.

Tema -> Mais específico; o que a banca pede.

Recorramos a um exemplo. Em 2003, o tema do ENEM foi: “A violência na sociedade brasileira; como mudar as regras desse jogo?”. Seguindo esquema anterior, temos:

Assunto -> Violência no Brasil.

Tema -> Formas de combater/vencer o problema da violência no Brasil.

Reparem que o tema está inserido no assunto, e não vice-versa. Não adiantaria, então, dissertar profundamente – e somente – sobre as causas e conseqüências da violência, sobre o tráfico de drogas, ou sobre a exploração do trabalho infantil. Era preciso, além dessa contextualização, propor soluções, maneiras de “mudar esse jogo”. Tenham bastante cuidado com o direcionamento da abordagem.

Quando falei sobre o uso inteligente da coletânea, sugeri que vocês sublinhassem as idéias mais relevantes. Façam isso no tema também. Marquem as palavras principais, e procurem voltar a elas sempre que tiverem dúvidas se estão ou não fugindo ao tema, ou falando mais sobre o assunto e menos sobre o que foi objetivamente proposto. Assim:

ENEM 2003: “A violência na sociedade brasileira; como mudar as regras desse jogo?”

ENEM 2000: “Direitos da Criança e do Adolescente; como enfrentar esse desafio nacional?”

Entenderam?

No próximo post, começarei a abordar objetivamente a elaboração de cada uma das partes de uma redação do ENEM, começando pela Introdução.

Até lá!