• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Alguns mitos da Dissertação – parte I

Olá, pessoal!

Como nos próximos meses vocês precisarão fazer algumas redações dissertativas para o vestibular, resolvi escrever alguns posts para desmistificar certos aspectos  que rodeiam o estudo desse tipo de texto e, muitas vezes, amedrontam os candidatos.

Hoje vou falar sobre o uso da primeira pessoa. Aprendemos que não se deve usar primeira pessoa do singular em Dissertações Argumentativas, e isso é VERDADE. Sabem por quê? As Dissertações devem ter um tom impessoal, ou seja, o candidato deve tratar seus posicionamentos como os mais certos e coerentes. Logo, o uso do “eu” denotaria certo tom pessoal ao texto, o que poderia comprometer a credibilidade da argumentação.

Agora, também ouvimos que não devemos usar a primeira pessoa do plural. Isso é MITO. O “nós”, assim como a conjugação dos verbos nessa pessoa, como “queremos”, “acreditamos” e “precisamos”, pode ser usado sem medo, desde que o candidato se inclua em um grande número de pessoas, como “seres humanos”, “humanidade” ou “brasileiros” remetendo a um sentido de inclusão. Evitem somente usar o “nós” em grupos mais restritos, como “jovens” ou “mulheres”, ok?

No próximo post, volto para desvendar mitos com relação a número de linhas e de parágrafos.

Até a próxima!