• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

USP aprova sistema de cotas raciais e sociais

O Conselho Universitário da Universidade de São Paulo (Usp) aprovou um sistema de cotas raciais e sociais pela primeira vez na história da instituição. A medida deverá ser implementada gradualmente a partir do vestibular 2018. O projeto propõe que, até 2021, 50% das vagas de toda a universidade sejam preenchidas por estudantes da rede pública de ensino e, desta porcentagem, 37% devem ser estudantes autodeclarados pretos, pardos e indígenas (PPI’s). Este valor é proporcional a quantidade de estudantes PPI’s habitantes do estado de São Paulo, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A decisão foi votada pelo corpo do conselho composto por funcionários, professores e estudantes.

QUER SER BIXO DAS PRINCIPAIS UNIVERSIDADES DE SP? A GENTE TE DIZ COMO!

As cotas em São Paulo

A Usp foi a última universidade estadual de São Paulo a aderir a alguma política de cota. No mês de maio, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) aprovou um projeto de sistema de cotas étnico-raciais e a Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp) destinou 49,1% das suas vagas para estudantes de escola pública no vestibular 2016. Segundo o reitor da Usp, Marco Antonio Zago, a medida é  um marco histórico: “É emblemático, porque representa uma universidade, que tem liderança e muita visibilidade no país, assumir que a inclusão social é uma questão importante do ponto de vista de integração de nossa população”.

O Sisu

No ano passado, a Usp destinou 21,1% das suas vagas no vestibular para serem preenchidas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu). O sistema do governo federal usa a nota do Enem para selecionar candidatos para a maioria das universidades públicas do país. Porém, muitas vagas desta porcentagem não foram preenchidas.

Além disso, muitos cursos oferecidos pela universidade não participaram do programa, entre eles, a formação em Medicina. Por coincidência ou não, no dia 3 de julho, a congregação da Faculdade de Medicina da Usp (Fmusp) aprovou a implementação de uma política de cotas e também a oferta de uma parte das suas vagas para o Sisu a partir do vestibular 2018. A informação foi confirmada pelo diretor da faculdade, José Otávio Costa.

Então, o vestibular da Fuvest acabou?

Não! Por mais que a Usp selecione uma parte dos seus calouros pelas notas do Enem, a maioria das vagas ainda serão preenchidas pelas provas tradicionais do vestibular elaborado e corrigido pela Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest). Em 2018, serão ofertadasirá oferecer 11.147 vagas. 8.402 delas serão destinadas pela Fuvest e as demais 2745 pelo Sisu. Em 2016, cerca de 37% dos novos alunos da Usp estudaram em escola pública enquanto apenas 17% se declaram como PPI’s. A implementação de política de cotas na universidade será gradual e, para o próximo vestibular, espera-se que a porcentagem de alunos cotistas sociais seja de 36%.

Está se preparando para Fuvest? Conta aqui pra gente nos comentários qual tem sido a sua estratégia de estudos! Se você estiver ainda um pouco perdido na preparação deste vestibular, não se preocupa que aqui no Descomplica a gente te ajuda a ser bixo ano que vem! Vamos nessa rumo à aprovação? 😉