• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

A importância da representatividade de deficientes visuais na cultura pop

Oi, pessoal!

Eu sou Thamara Machado – @thatama748, deficiente visual, embaixadora do Descomplica e vim falar sobre a importância da representatividade de pessoas com deficiência visual em histórias em quadrinho, novelas e filmes.
Quando os deficientes são representados pela ficção de maneira positiva, ou seja, mostrando histórias de superação, os telespectadores que possuem limitações sentem se motivados e aqueles que não possuem nenhuma deficiência aprendem mais sobre o assunto.

Inclusão de deficientes visuais na cultura pop

A inclusão social deve começar desde a infância, assim as crianças aprendem a conviver com as diferenças. Pensando nisso, o cartunista Maurício de Sousa criou personagens com deficiências que figuram nos enredos da Turma da Mônica, entre eles Dorinha. A personagem Dorinha, deficiente visual, é a mais estilosa da turma. Uma menina meiga, feliz e que sempre transmite mensagens positivas sobre sua deficiência. Ela possui sentidos aguçado e surpreende os amigos com suas habilidades. Dorinha mostra para pessoas uma nova maneira de ver a vida.

A personagem Anita, deficiente visutal, da novela “Caras e Bocas” aborda a superproteção da família e a inserção no mercado de trabalho, mostrando que apesas das limitações, os deficientes são capazes de alcançar seus objetivos.

O filme “Teu mundo não cabe nos meus olhos”, com a história de Vitório, cego de nascença, que vive feliz com a sua família, até que surge a possibilidade de enxergar. No entanto, ele entra em conflito interno, pois já estava acostumado a perceber as coisas de uma jeito diferente. No final, o drama passa a mensagem de que a beleza do mundo está em tudo que se pode ver como coração!

Citei apenas alguns exemplos, mas existem várias narrativas legais que abordam o tema.

Espero que tenham curtido e até a próxima!

Beijo,
Thamara.