5 exemplos de biotecnologia e engenharia genética que você PRECISA conhecer!

17/10/2016 Má Dias

Descubra o que é Engenharia Genética!

engenharia genetica

CONFIRA NOSSO GABARITO ENEM 2016!

Olá! Essa lista vai tratar de biotecnologia e engenharia genética, como você já deve ter lido no título. Mas antes de podermos dar exemplos desses casos, você precisa saber O QUE É biotecnologia, ou engenharia genética, não é verdade? Pois bem, a biotecnologia é a manipulação de seres vivos para a obtenção de recursos. “Ué, mas o que você quer dizer com isso?”, esse conceito vai ficar claro com os exemplos, não vou sair dando spoiler. 😛 Já a engenharia genética é caracterizada pela manipulação direta do DNA, técnica possibilitada pelas enzimas de restrição, também conhecidas como endonucleases. Hoje em dia, a Genética trabalhada nos níveis superiores de graduação envolve principalmente a engenharia genética, e não a genética clássica de cruzamentos mendelianos. Ou seja, não adianta ficar procurando vestibular de Engenharia Genética, porque você não vai encontrar. 😛

A endonuclease corta o DNA em diferentes pontos, permitindo assim o isolamento de determinados setores do DNA, e os usos para isso são os mais variados. Vamos dar uma olhada!

Obtenção de alimentos (vinhos e etc)

Agricultura

1) Clonagem

Os stormtroopers originais, em Star Wars, eram clones de um caçador de recompensas famoso, o Jango Fett. A clonagem é a geração de indivíduos geneticamente iguais ao original. O clone produzido sempre será igual ao doador do núcleo, então seguindo o exemplo de Star Wars ainda: pega-se o núcleo de uma célula somática (2n, com os 46 cromossomos) do Luke Skywalker, implantam esse núcleo em um óvulo (anucleado) da sua irmã, Leia, e implantam esse óvulo no útero da Rey, de quem será o clone? Do Luke, já que a informação genética está contida no núcleo da célula. Mas cuidado!!! Ainda que o clone seja geneticamente igual ao Luke, o DNA mitocondrial desse clone pertencerá a Leia, já que a doadora do óvulo foi ela!

Aqui entramos rapidinho no ponto da bioética: Clones de seres humanos completos são antiéticos por diversas razões, então a clonagem reprodutiva humana é condenável. No entanto, a clonagem de células e tecidos pode proporcionar a clonagem de órgãos, permitindo assim a formação de rins, fígados, corações, entre outros órgãos, com zero grau de rejeição, facilitando muito o processo de transplantes.

Vale também ressaltar que clones envelhecem mais rápido. Os cromossomos apresentam pontas chamadas telômeros, que se desgastam ao longo da vida. Clones já nascem com telômeros gastos, apresentando então envelhecimento precoce. Isso é contornável com o uso de uma enzima, a telomerase. O primeiro exemplo de mamífero clonado, a ovelhinha Dolly, teve que ser sacrificada justamente porque não eram conhecidos os telômeros na época, e ela teve diversas doenças precocemente.

2) Teste de DNA (DNA-Fingerprint)

CHAMA O RATINHO, QUE AGORA A COISA FICA BOA

DEU PROBLEMA NA MATERNIDADE, A ENFERMEIRA TÁ MALUCA E NÃO REGISTROU DE QUEM ERA O FILHO. O QUE VAI TER DE PROCESSO, HEIN……… Me empolguei, mas enfim, vai ser necessário um exame pra descobrir de quem é a criança, não é mesmo?

DNA-Fingerprint é a “impressão digital de DNA”. As endonucleases são usadas para fragmentar o DNA desses indivíduos no mesmo ponto e comparar as bandas de DNA, de modo que seja possível descobrir a quem esse DNA pertence. No caso dos testes de paternidade, o DNA do bebê deverá ser igual ao DNA da mãe ou do pai, obrigatoriamente vindo de um dos dois. Vamos dar uma olhadinha em um exemplo, sim?

Bebê 81 e os 5 casais possíveis. Os pontos escuros no DNA do bebê deverão vir do pai ou da mãe. O seu objetivo vai ser comparar esses pontos de DNA e ver qual casal é o pai da peste em questão.

Pra resumir a coisa toda, repara só na terceira banda escura do bebê, de cima para baixo. Apenas a Mãe c) possui banda escura também. Consequentemente, ela é a mãe dessa criança. Se você quiser conferir tooodas as bandas, fica a vontade, mas vai ver que estou certo. Logo, o casal c) é o casal que gerou essa criança!

AEEEE PAPAI C)

3) Transgênicos

Cabeça, garras e asas de águia em um corpo de cavalo… O Bicuço só pode ser um transgênico!

Um organismo transgênico é um organismo que recebeu, em seu DNA, genes do DNA de uma OUTRA espécie. O lance do Bicuço foi uma brincadeira (e a criação de uma quimera dessas seria uma violação bioética tremenda…), mas um cavalo que recebeu, em seu genoma, o DNA de uma águia, através da manipulação genética, seria definitivamente um transgênico.

É importante diferenciar, no entanto, organismos geneticamente modificados de transgênicos. Um homem diabético que recebe um gene humano para a produção de insulina, tratando assim a sua condição, não é transgênico. Agora, uma bactéria que recebe esse gene humano para produzir insulina humana, por outro lado, é um organismo transgênico. Perceberam a diferença?

Qual é o processo? As endonucleases são usadas para cortar os genes no DNA, isolando-os do resto do DNA. No outro organismo, serão usadas as mesmas endonucleases, que cortaram fragmentos com as mesmas bases nitrogenadas, permitindo assim a formação de um sítio para aquele fragmento segmentado. O gene cortado se ligará ao DNA incompleto do outro organismo, implantando assim os genes de uma espécie em outra. Esse novo DNA recombinante será capaz (através dos processos de transcrição e tradução) de sintetizar as proteínas desse novo gene incorporado, manifestando assim os efeitos desejados, como a produção de insulina humana em bactérias que recebem o gene humano da produção de insulina.

Nesse exemplo, uma das aplicações já ficou óbvia, né? Transgênicos podem ser um grande avanço na medicina. Além do mais, podem ser implantados na agricultura, fortalecendo as plantas contra pragas ou aumentando o valor nutricional dos alimentos.

É importante citar que a transgenia é uma técnica, e, como toda técnica, pode ser mal utilizada e causar impactos. São necessários estudos profundos dos efeitos e produtos desse novo DNA recombinante, para garantir que é seguro ao consumo humano. No entanto, a liberação de, por exemplo, vegetais transgênicos resistentes a pragas em meio natural faria com que eles levassem vantagem sobre espécies nativas, de menor resistência, podendo levar a extinção dessas espécies. Sendo assim, a transgenia é uma técnica que exige cuidado e responsabilidade (assim como todas as outras, né?), mas que é muito promissora!

4) Obtenção de alimentos

“Podemos beber direto da garrafa.”

Como eu disse antes, a biotecnologia é a obtenção de recursos a partir da manipulação de seres vivos. A fermentação é um exemplo maravilhoso para isso. Existem três tipos básicos de fermentação: alcoólica, lática e acética. A fermentação alcoólica é utilizada pelos seres humanos para a produção de bebidas (vinho, cerveja, saquê, etc), pães, massas (sua pizza é uma obra de biotecnologia, no fim das contas), bolos, etc, pois a fermentação alcoólica libera álcool e CO2 (CO2 faz a massa crescer, álcool é para maiores de 18 que não estão dirigindo, sejam responsáveis, sim?). A fermentação lática tem como produto final o ácido lático, e podemos atribuir a ela a produção de iogurte e queijos. A fermentação acética produz ácido acético, e é utilizada na produção de vinagre.

“Alguém disse… PIZZA?”

5) Agricultura

Se você levar em conta a definição que te dei aqui sobre biotecnologia, não é difícil perceber que a agricultura foi o primeiro exemplo de biotecnologia realizado pela espécie humana. Nós manipulamos diversos vegetais para “domesticá-los” e permitir que eles atingissem o estado que encontramos hoje, selecionando artificialmente as linhagens. Querem exemplos?

Isso aqui é uma BANANA.

Passo a passo do milho.

Lindos tomatinhos, né? Pois é. São berinjelas.

Não tem a ver com agricultura, mas ainda no tema da biotecnologia e da domesticação de seres selvagens: caçadores primitivos iniciaram processos de domesticação dos ancestrais dos cães e dos lobos cinzentos atuais, originando assim os cães. Mesmo assim, os cães não são completamente distintos dos lobos, sendo considerados hoje uma subespécie de lobos (‘Canis lupus familiaris’). O fato de linhagens de cães serem capazes de se reproduzir com linhagens de lobos e gerar descendência fértil aponta para o fato de serem uma única espécie. “Ah, mas cães não são um recurso!” Olha, na China comem cachorro, mas não vou entrar nesse mérito, a questão é que cães foram usados por humanos para caça, e são usados até hoje, tanto para caça, quanto para companhia ou guarda, sendo sim um recurso humano para desempenhar determinadas funções. O que não os torna pior que nós, muito pelo contrário! 🙂

Divaguei um pouco do item, mas só queria mostrar o quão antigo é nosso hábito de trabalhar com a biotecnologia e modificar o mundo ao nosso redor.

Espero ter ajudado vocês, e até a próxima!

Má Dias

Má Dias escreveu 1609 artigos

Deixe o seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *