• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Como fazer uma redação pro ENEM?

Olá leitores do blog do Desco! Eu sou a Luiza do @firstpopcorn, tenho 18 anos, prestei o ENEM ano passado e é com muita felicidade que posso dizer que estou prestes a começar o curso de biomedicina numa federal!!
(Depois da quarentena, claro)

É uma honra estar escrevendo esse post hoje como embaixadora, principalmente porque o Descomplica teve uma participação enorme na minha aprovação. Inclusive se você quiser fazer parte desse grupo de pessoas que arrasa no ENEM com o descomplica, pode usar meu cupom de desconto pra conseguir assinar por um preço super camarada!

Dito isso, vamos ao que interessa: a tão temida redação do ENEM.

Nessa terça-feira (17/03), o INEP divulgou não só a nota dos treineiros, como os espelhos das redações com vista pedagógica de todos os participantes do ENEM 2019, e cá estou eu para contar como me preparei, como fiz a minha e, de quebra, mostrar o espelho dela!

Você tem mais ou menos oito meses até o ENEM, e isso é sim suficiente para alcançar notas altas na redação! Basta treinar muito e focar em ter a estrutura ali na ponta da língua, para conseguir encaixar qualquer tema, afinal, o segredo da redação do ENEM é a estrutura. Não, não falo de você usar um modelo pronto, mas sim de entender quais elementos fundamentais devem constar na sua redação para gabaritar as competências.

Eu fazia em média uma redação por semana, e quando recebia corrigida, analisava muito bem onde eu estava errando e o que eu precisava mudar para não cometer mais o erro. Se você fez o ENEM 2019 como treineiro, ou fez pra valer mas não atingiu a pontuação necessária e vai fazer a próxima edição do exame, dê uma olhada minuciosa nos erros apontados na vista pedagógica, em quais competências você perdeu ponto, e vá reparando isso ao longo do ano.

No ENEM 2018, quando estava no segundo ano, tirei 800 na redação como treineira. Já na edição de 2019, subi para 940. Sendo assim, vou falar agora minhas dicas para escrever uma redação 900+.

  • LER E INTERPRETAR A FRASE TEMA

Faça isso e pense no que vai escrever antes de ler a coletânea. Assim você garante sua autoria e não se deixa influenciar pelos textos motivadores (obviamente você irá lê-los depois, até para assegurar que não fuja do tema). Mas é muito importante que você destrinche a frase tema e entenda cada palavra dela. Como o Valladares fala, encontre sinônimos que o façam entendê-la melhor.

  • PLANEJAMENTO DE TEXTO

Antes de transcrever seus pensamentos para o rascunho, planeje sua redação. Ter um projeto de texto é mega importante para a competência 3. Você precisa mostrar desde o início que sabe o que está escrevendo e que sabe onde quer chegar. Qual a sua tese?

Como você vai argumentar? Por causas? Consequências? Quais os seus argumentos? Não esqueça que os desenvolvimentos devem funcionar como micro textos independentes, com introdução, ampliação e síntese. Qual a sua proposta de intervenção? Ter tudo isso em mente antes de começar a produzir é crucial para você não se perder no tema. Desse modo, é completamente válido que você faça um brainstorming, aquela famosa tempestade de ideias em que você joga tudo no papel. Deixei abaixo como exemplo o meu brainstorming.

texto 1

  • PROPOSTA DE INTERVENÇÃO

Como falamos da proposta de intervenção no tópico anterior, vamos nos aprofundar um pouquinho nela. A competência 5 é quase como uma benção de Deus na vida do vestibulando. Isso porque, na minha opinião, é a competência mais fácil de se conseguir nota máxima. Tudo que você precisa fazer é garantir que seu texto tenha os 5 elementos fundamentais: agente (quem?), ação (o que?), meio/modo (como?), finalidade (para que?) e, por fim, o detalhamento (alguma informação extra sobre os outros 4 elementos).

  • REPERTÓRIO SOCIOCULTURAL

Qual referência interdisciplinar você vai usar? Um fato histórico? Um conceito da biologia? Da geografia? Da filosofia? Uma citação? Uma escola literária? Algo da cultura pop? Faça um link muito legal de algumas dessas coisas com o seu texto – não vale só citar, tem que desenvolver -, elaborando um repertório sociocultural produtivo e garantindo 200 na competência 2!

  • ABUSE DOS CONECTIVOS

A competência 4 te agradece se você enfiar conectivos em todos os lugares possíveis! Mas claro, os conectivos certos. Dá uma revisadinha naquela lista com os valores semânticos de cada um e saiba como e onde usá-los.

  • ATENÇÃO À ORTOGRAFIA

Eu sempre perco ponto na competência 1 por falta de atenção, esquecendo um acento, por exemplo, porque escrevi muito rápido e coisas do tipo. No ENEM, ali, no calor do momento, não dá tempo de fazer uma revisão profunda no texto para ter certeza de que escrevemos tudo de acordo com a “modalidade escrita formal da língua portuguesa”, então atente o máximo possível à ortografia enquanto rediz o texto.

  • INTRODUÇÃO

A introdução é o lugar onde você deve expor o tema e sinalizar a relevância da situação problema. Tem duas maneiras que eu gosto de introduzir meu texto: Por elemento contextual (você já joga um repertório sociocultural logo de cara), e por princípio ideal x impasse real, em que você apresenta a situação-problema em contraposição ao que seria ideal para que o assunto não representasse um entrave.

Lembrando que nela deve conter sua tese (ideia central do texto) e frase de encaminhamento (um pequeno spoiler do que você dissertar).  Haja o que houver, NÃO ARGUMENTE NA INTRODUÇÃO. 

  • AMARRE SEU TEXTO

Uma coisa que os prof’s do descomplica SEMPRE falam e que eu demorei para pôr em prática é que você deve sempre amarrar o seu texto, retomar na conclusão tópicos já mencionados. Então escuta o que eles dizem e faça isso. Tem um exemplo de como você pode fazer isso no meu texto, na parte em que eu retomo Walter Benjamin na conclusão.

E falando na minha redação, aqui está ela:

text 2

Como eu disse, minha nota final foi 940.

Competência 1: 180

Competência 2: 200

Competência 3: 180

Competência 4: 180

Competência 5: 200

Espero que de alguma forma eu tenha conseguido ajudar vocês!

Beijos!