Resumo: Movimentos Sociais - Brasil Império

Olá, meus amigos!

Como vamos essa semana? Continuando o assunto de movimentos sociais brasileiros, vamos falar agora sobre os movimentos sociais do Brasil Império. Você sabe quais foram os eventos marcantes desses período? O que a população reivindicou? O que gerou as revoltas? Se ainda não sabe, é bom prestar bastante atenção, pois é assunto de vestibular! Vamos lá!

As características dos movimentos sociais brasileiros variam muito. Por isso, eles devem ser estudados sob uma perspectiva ampla. Algumas rebeliões não chegaram a acontecer, limitando-se à fase conspiratória. Em certos casos, houve pouca participação das classes populares; em outros, o movimento foi impulsionado não por razões de ordem política ou econômica, mas, sim, religiosa. Durante o Império (Primeiro Reinado, Regência e Segundo Reinado), os principais movimentos foram os que seguem:

1) Confederação do Equador

– Em 2 de julho de 1824, no Recife.

– Estabelecimento de um governo republicano.

– Em 19 de setembro os revolucionários já estavam derrotados.

– Líderes receberam penas diversas: fuzilamento, forca ou prisão perpétua.

2) Cabanagem

– De 1833 a 1839, no Grão-Pará (Amazonas e Pará atuais).

– Reuniu mestiços e índios.

– Movimento começou com a resistência oferecida pelo presidente do conselho da província, que impediu o desembarque das autoridades nomeadas pela Regência.

– Cabanos chegaram a tomar Belém.

– Depois de prolongada resistência, foram derrotados.

3) Revolução Farroupilha

– Rio Grande do Sul: movimento republicano e federalista de amplas proporções (de 1835 a 1845).

– Dois grupos se defrontaram: o conservador monárquico (os caramurus) e o liberal (chimangos), composto sobretudo por estancieiros, mas que veio a contar com o apoio – Das camadas populares.

– Chimangos protestavam contra a pesada taxação do charque e do couro.

– Depois de várias batalhas, o armistício foi negociado e a anistia concedida a todos.

4) Sabinada

– Bahia: revolta irrompeu a 7 de novembro de 1837, pretendendo implantar uma república.

– A tropa local aderiu ao movimento.

– Cercados pelo exército governista, revoltosos resistiram até meados de março de 1838.

– Milhares foram mortos ou feitos prisioneiros.

5) Balaiada

– Movimento insurrecional extenso e profundo, sacudiu o Maranhão – e parte do Piauí e do Ceará (de 1838 a 1841).

– Rebeldes chegaram a ter 11 mil homens armados.

– Movimento começou a partir de uma reivindicação política, o restabelecimento dos juízes de paz, mas ganhou proporções maiores.

– Anistia oferecida pelas tropas do governo esvaziou a insurreição.

– Apenas um dos líderes foi condenado à forca.

6) Revolução Praieira

-Projeção, no Brasil, das revoluções populares de 1848, na Europa.

– Nascida da rivalidade entre os partidos Liberal e Conservador, acabou se transformando em choque de classes.

– Praieiros lutaram de 1848 a 1849, exigindo voto livre e democrático, liberdade de imprensa e trabalho para todos.

– Mais de 500 revolucionários foram mortos.

E aí, entenderam tudo? Qual a sua opinião sobre esses movimentos sociais brasileiros? Importantes? Desnecessários? Deixe seu comentário!

Um excelente carnaval a todos vocês! Descansem bastante, mas assistam a uns vídeos do Descomplica para não enferrujar 😉

Até mais!

(fonte Vestibular UOL)

Continue estudando
artigo
Post do blog

Como ocorreu a construção da Nação brasileira?

Confira um resumo super bacana sobre a construção da nação brasileira e descubra os fatores por trás deste acontecimento que sempre cai no vestibular.
artigo
Post do blog

5 Revoltas Regenciais que você deve saber para o seu vestibular

As Rebeliões Regenciais aconteceram no período de 1831 a 1840, antes de D. Pedro II dar o famoso golpe da maioridade. Então vamos dar uma olhadela nessas rebeliões e ver porque elas demonstraram a fragilidade desse período e também ameaçaram a ordem social vigente.