Resumo: Barroco

Olá, queridos!!

Aqui estou eu de novo! =)

Vamos descansar de Português e mergulhar em Literatura?

Hoje vou publicar um materialzinho esperto para que todos vocês arrasem nas próximas provas! =)

Com vocês, BARROCO!
Contexto Histórico

– Renascimento (Antropocentrismo,Hedonismo).

– Contrarreforma (Teocentrismo, Ascetismo*).

* Exercício prático que leva à efetiva realização da virtude.

“O Renascimento caracterizou-se pelo predomínio da linha reta e pura, pela clareza e nitidez de contornos. O Barroco tenta a conciliação, a incorporação, a fusão (o fusionismo é a sua tendência dominante) do ideal medieval, espiritual, supra-terreno, com os novos valores que o Renascimento pôs em voga: o gosto pelas coisas terrenas, as satisfações mundanas e carnais. A estratégia pertenceu à Contrarreforma, no intuito, consciente ou inconsciente, de combater o moderno espírito, absorvendo-o no que tivesse de mais aceitável. Daí nasceu o Barroco, novo es_tilo de vida, que traduz em suas contradições e distorções, o caráter dilemático da época, na arte, filosofia, religião, literatura.”_

“(…) São, por isso, o dualismo, a oposição ou as o_posições, contrastes e contradições, o estado de conflito e tensão, oriundos do duelo entre o espírito cristão, antiterreno, teocêntrico, e o espírito secular, racionalista, mundano, que caracterizam a essência do espírito barroco. Daí uma série de antíteses – ascetismo e mundanidade, carne e espírito, sensualismo e misticismo, religiosidade e erotismo, realismo e idealismo, naturalismo e ilusionismo, céu e terra, verdadeiras dicotomias ou “conflitos de tendências antitéticas” (Meissner), “violentas desarmonias” (Wellek), tradutoras de tensão entre as formas clássicas e o ethos cristão, entre as tradições medievais e o crescente espírito secularista inaugurado pelo Renascimento. A alma barroca é composta pelo dualismo, desse estado de tensão e conflito, exprimindo uma gigantesca tentativa de conciliação de dois pólos considerados então inconciliáveis e opostos: a razão e a fé. O movimento era de fundo religioso, visando a restaurar os valores medievais de vida contra a corrente renascentista. Ao mesmo tempo, contudo, o homem ocidental não mais se conformava em abrir mão das virtualidades da vida terrena que o humanismo renascentista e o alargamento espacial da Terra lhe revelaram. Por isso o conflito entre o ideal de fuga e renúncia do mundo e as atrações e solicitações terrenas. Diante do dilema, em vez da impossível destruição, tentou a conciliação, a incorporação, a absorção…”_

2. Características Gerais

Palavra-chave: Conflito

2.1 Características temáticas

– Dualismo, contrastes e contradições, evidenciando o conflito interno do homem barroco. (carne x espírito; religiosidade x erotismo; céu x terra;). Tentativa de conciliação de dois polos considerados então inconciliáveis e opostos: a razão e a fé.

Algumas das bases vividas pelo homem entre as experiências carnais e a paz conferida àqueles que não vivem em pecado. Nessa perspectiva, os textos barrocos também trabalham a figura da mulher, que aparece como um anjo belíssimo, mas que pode tentar o homem e leva-lo à perdição.

– Presença de forte religiosidade.O eu-lírico b_arroco é marcado por uma profunda angústia diante de um mundo conflituoso e instável. Muitas vezes, a religiosidade é resgatada com o objetivo de aplacar essa angústia de existir._

– Retomada do carpe diem: consciência da efemeridade dos aspectos positivos da vida mundana.

– Preferência por aspectos cruéis, dolorosos, repugnantes.

2.2 Características formais

– Predomínio de sonetos.

– Uso intenso de figuras de linguagem como:Antítese, Paradoxo, Hipérbato eHipérbole. “Em uma tentativa do eu-lírico evidenciar sua angústia, seu conflito existencial e sua perplexidade diante do mundo.”

– Cultismo(jogo de palavras) e Conceptismo(jogo de ideias).

3. Produção Nacional

– Gregório de Matos (“Boca do Inferno”)

– Maior representante da poesia barroca no Brasil;

– Poesia satírica;

– Uso recorrente de antíteses, metáforas, conceptismo e cultismo.

– Padre Antônio Vieira

– Destacou-se principalmente na prosa

– Uso constante do conceptismo, cultismo, presença marcante de antíteses e linguajar apurado.

x

A Cristo S. N. Crucificado, estando o poeta na última hora de sua vida.

Pequei, Senhor, mas não porque hei pecado,

Da vossa alta clemência me despido;

Porque, quanto mais tenho delinquido,

Vos tenho a perdoar mais empenhado.

Se basta a vos irar tanto um pecado,

A abrandar-vos sobeja um só gemido,

Que a mesma culpa, que vos há ofendido,

Vos tem para o perdão lisonjeado.

Se uma ovelha perdida, e já cobrada

Glória tal, e prazer tão repentino

vos deu, como afirmais na sacra história:

Eu sou, Senhor, a ovelha desgarrada

Cobrai-a, e não queirais, Pastor divino,

Perder na vossa ovelha a vossa glória.

Confira agora um mapa mental em vídeo resumindo tudo que você acabou de aprender sobre Barroco:

Ah, gente, a imagem que está ilustrando este post é de Bernini, artista Barroco italiano. Na escultura há a retratação de uma freira, entidade religiosa, com traços de orgasmo, prazer. A partir desta imagem, vê-se com clareza o ideal alçado pelo Barroco que é, como já está claro aqui, explorar a oposição, a dualidade e, principalmente, o contraste entre prazer e religião.

Continue estudando
artigo
Post do blog

Questões Comentadas: Barroco

Leia o resumo “O que é o Barroco?” e resolva os exercícios abaixo.
artigo
Post do blog

Mapa Mental: Barroco

Aprenda as principais características do Barroco, de uma vez por todas, com esse Mapa Mental incrível! Confira: