Questões comentadas: Teoria do conhecimento

1. (Unioeste 2013) “… esta palavra, Filosofia, significa o estudo da sabedoria, e por sabedoria não se deve entender apenas a prudência nos negócios, mas um conhecimento perfeito de todas as coisas que o homem pode saber, tanto para a conduta da sua vida como para a conservação da saúde e invenção de todas as artes. E para que este conhecimento assim possa ser, é necessário deduzi-lo das primeiras causas, de tal modo que, para se conseguir obtê-lo – e a isto se chama filosofar –, há que começar pela investigação dessas primeiras causas, ou seja, dos princípios. Estes devem obedecer a duas condições: uma, é que sejam tão claros e evidentes que o espírito humano não possa duvidar da sua verdade, desde que se aplique a considerá-los com atenção; a outra, é que o conhecimento das outras coisas dependa deles, de maneira que possam ser conhecidos sem elas, mas não o inverso. Depois disto, é indispensável que, a partir desses princípios, se possa deduzir o conhecimento das coisas que dependem deles, de tal modo que, no encadeamento das deduções realizadas, não haja nada que não seja perfeitamente conhecido.”

Descartes.

“À medida que Descartes vai desenvolvendo sua ideia de um sistema reconstruído de conhecimento, vemos surgir dois componentes específicos da visão cartesiana. O primeiro é um individualismo radical: a ciência tradicional, ‘composta e acumulada a partir das opiniões de inúmeras e variadas pessoas, jamais logra acercar-se tanto da verdade quanto os raciocínios simples de um indivíduo de bom senso’. O segundo componente é uma ênfase na unidade e no sistema: ‘Todas as coisas que se incluem no alcance do conhecimento humano são interligadas’”.

Cottingham.

Considerando os textos acima, que tratam da teoria cartesiana do conhecimento, é INCORRETO afirmar que
a) a teoria cartesiana do conhecimento implica um sistema em que todos os conteúdos encontram-se intimamente relacionados.
b) a teoria do conhecimento cartesiana pretende, a partir da elaboração de um método preciso, reconstruir o conhecimento em bases sólidas.
c) a teoria do conhecimento cartesiana, que tem como objetivo a elaboração de uma ciência universal, serve-se, em certa medida, do modelo indutivista para alcançar seu objetivo.
d) o conhecimento que se tem de cada coisa deriva de um processo no qual cada etapa pode ser conhecida sem o concurso de etapas posteriores, mas não o inverso.
e) quando determinada noção se apresenta com clareza e com distinção, o sujeito pensante entende que se encontra frente a um conhecimento verdadeiro pela própria natureza da concepção cartesiana do conhecimento.

2. (Unioeste 2011) Considerando-se as primeiras linhas das Meditações sobre a filosofia primeira de René Descartes:
“Há já algum tempo dei-me conta de que, desde meus primeiros anos, recebera muitas falsas opiniões por verdadeiras e de que aquilo que depois eu fundei sobre princípios tão mal assegurados devia ser apenas muito duvidoso e incerto; de modo que era preciso tentar seriamente, uma vez em minha vida, desfazer-me de todas as opiniões que recebera até então em minha crença e começar tudo novamente desde os fundamentos, se eu quisesse estabelecer alguma coisa de firme e de constante nas ciências. (…) Agora, pois, que meu espírito está livre de todas as preocupações e que obtive um repouso seguro numa solidão tranquila, aplicar-me-ei seriamente e com liberdade a destruir em geral todas as minhas antigas opiniões”

É correto afirmar sobre a teoria do conhecimento cartesiana que
a) Descartes não utiliza um método ou uma estratégia para estabelecer algo de firme e certo no conhecimento, já que suas opiniões antigas eram incertas.
b) Descartes considera que não é possível encontrar algo de firme e certo nas ciências, pois até então esse objetivo não foi atingido.
c) Descartes, ao rejeitar o que a tradição filosófica considerou como conhecimento, busca fundamentar nos sentidos uma base segura para as ciências.
d) ao investigar uma base firme e indestrutível para o conhecimento, Descartes inicia rejeitando suas antigas opiniões e utiliza o método da dúvida até encontrar algo de firme e certo.
e) Descartes necessitou de solidão para investigar as suas antigas opiniões e encontrar entre elas aquela que seria o verdadeiro fundamento do conhecimento.

3. (Uem 2011) Entre os problemas principais da Filosofia, destaca-se a teoria do conhecimento, que tem por objetivo investigar as fontes do conhecimento, as formas de juízos verdadeiros e as regras para a obtenção do conhecimento seguro. Sobre a teoria do conhecimento, assinale o que for correto.
01) O problema do conhecimento, em suas diferentes formas de fundamentação, seja racional (através da razão) ou empírica (através da experiência), não diz respeito ao nascimento da Filosofia, na Grécia antiga, nem à filosofia da Idade Média. Ele se deve apenas à filosofia moderna.
02) O sofista Protágoras, com a afirmação de que “o homem é a medida de todas as coisas”, pode ser considerado um precursor do relativismo contemporâneo, do ponto de vista da teoria do conhecimento.
04) O que diferencia, segundo Platão, opinião e conhecimento, é que a opinião fornece apenas um quadro provisório do mundo, ao passo que o conhecimento é o estudo do imutável e permanente.
08) Para René Descartes, o desejo de verdade não é suficiente para fundar o conhecimento, mas, sim, regras para a direção do espírito, estabelecidas pelo rigor de um método lógico e metafísico.
16) Em se tratando das formas do conhecimento, para Platão, no mito da caverna, abordado em A República, o conhecimento sensível é idêntico ao conhecimento inteligível.

4. (Uel 2010) Leia o texto de Platão a seguir:

Logo, desde o nascimento, tanto os homens como os animais têm o poder de captar as impressões que atingem a alma por intermédio do corpo. Porém relacioná-las com a essência e considerar a sua utilidade, é o que só com tempo, trabalho e estudo conseguem os raros a quem é dada semelhante faculdade. Naquelas impressões, por conseguinte, não é que reside o conhecimento, mas no raciocínio a seu respeito; é o único caminho, ao que parece, para atingir a essência e a verdade; de outra forma é impossível.

(PLATÃO. Teeteto. Tradução de Carlos Alberto Nunes. Belém: Universidade Federal do Pará, 1973. p. 80.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre a teoria do conhecimento de Platão, considere as afirmativas a seguir:

I. Homens e animais podem confiar nas impressões que recebem do mundo sensível, e assim atingem a verdade.
II. As impressões são comuns a homens e animais, mas apenas os homens têm a capacidade de formar, a partir delas, o conhecimento.
III. As impressões não constituem o conhecimento sensível, mas são consideradas como núcleo do conhecimento inteligível.
IV. O raciocínio a respeito das impressões constitui a base para se chegar ao conhecimento verdadeiro.

Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas II e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas I, III e IV são corretas.

5. (Uem 2009) “Todas as ideias derivam da sensação ou reflexão. Suponhamos que a mente é, como dissemos, um papel em branco, desprovida de todos os caracteres, sem quaisquer ideias; como ela será suprida? (…) De onde apreende todos os materiais da razão e do conhecimento?
A isso respondo, numa palavra, da experiência. Todo o nosso conhecimento está nela fundado, e dela deriva fundamentalmente o próprio conhecimento.”

(LOCKE, John. Ensaio acerca do entendimento humano. São Paulo: Abril Cultural, 1973, p. 165).

Assinale o que for correto.
01) Para John Locke, embora nosso conhecimento se origine na experiência, nem todo ele deriva da experiência. No entendimento, existem ideias inatas abstraídas das coisas pela reflexão.
02) Como seguidor de Descartes, John Locke assume a diferença entre conhecimento verdadeiro, que é puramente intelectual e infalível, e conhecimento sensível, que, por depender da sensação, é suscetível de erro.
04) John Locke é o iniciador da teoria do conhecimento em sentido estrito, pois se propôs, no Ensaio acerca do entendimento humano, a investigar explicitamente a natureza, a origem e o alcance do conhecimento humano.
08) Para John Locke, todo nosso conhecimento provém e se fundamenta na experiência. As impressões formam as ideias simples; a reflexão sobre as ideias simples, ao combiná-las, formam ideias complexas, como substância, Deus, alma etc.
16) John Locke distingue as qualidades do objeto em qualidades primárias (solidez, extensão, movimento etc.) e qualidades secundárias (cor, odor, sabor etc.); as primeiras existem realmente nas coisas, as segundas são relativas e subjetivas.

6. (Ueg 2008) Um dos pontos altos da filosofia grega é a teoria do conhecimento. Entre seus pensadores encontra-se Sócrates. Ao dialogar com seus interlocutores, Sócrates assumia humildemente a atitude de quem aprende e, multiplicando as perguntas, levava seu adversário à contradição, obrigando-o a reconhecer sua ignorância. Esse método socrático denomina-se:
a) Alegoria, metodologia de conhecimento segundo a qual se desenvolve o conhecimento a partir do senso comum.
b) Maiêutica, metodologia segundo a qual a ideia é gerada ou acordada.
c) Ironia, método dialético segundo o qual é demonstrada a necessidade de conhecer profundamente as ideias.
d) Criticismo, metodologia de conhecimento que parte da crítica da razão.

Gabarito:

1. C

Resolução passo-a-passo:

a) Descartes acredita que o intelecto humano seja uma unidade coesa, por isso os conteúdos têm sempre uma conexão entre si.

b) A Teoria do conhecimento cartesiano pretende a partir do método da dúvida lançar as bases de um conhecimento seguro e inabalável.

c) Não pretendia elaborar uma ciência universal, uma vez que ciência já tem um caráter de unidade. Sua intenção é estabelecer bases seguras para ela.

d) Em Descartes a razão humana é como um edifício cujas bases desenvolvem-se de maneira uniforme em uma construção homogênea.

e) Este era o objetivo de Descartes: encontrar as bases de um conhecimento inabalável através de ideias claras e distintas.

2. D

Resolução passo-a-passo:

a) Justamente por suas opiniões antigas serem incertas, Descartes precisa de um método que o faça chegar ao conhecimento seguro sem os enganos da tradição.

b) Descartes é um racionalista, por isso ele acredita que o homem é capaz de encontrar o conhecimento verdadeiro através da razão, espacialmente na ciência.

c) Descartes não rejeitou a tradição, mas a questionou. Acreditar que os sentidos nos guiam ao conhecimento perfeito seria transformar o autor em um empirista.

d) Descartes rejeita qualquer certeza para evitar os enganos; a partir daí usa o método da dúvida radical para encontrar o conhecimento verdadeiro.

e) Descartes não procura a verdade em suas antigas opiniões, mas no que restou após a dúvida hiperbólica.

3. 02+04+08= 14

Resolução passo-a-passo:

01) A teoria do conhecimento diz respeito a todas as fases da história da filosofia.

02) O relativismo é uma corrente que afirma que não é possível a existência de verdades absolutas. O sofista Protágoras ao determinar o homem como medida inaugurou a possibilidade de cada indivíduo eleger a sua verdade.

04) Em Platão a opinião é insegura e oriunda do mundo sensível, enquanto o conhecimento é seguro e característico do mundo das ideias.

08) Descartes acreditava que as regras eram capazes de conduzir o homem ao conhecimento seguro.

16) O conhecimento inteligível é superior à opinião do mundo sensível.

4. B

Resolução passo-a-passo:

I. Em Platão os sentidos ou impressões são importantes para a dialética do conhecimento, mas não são capazes de revelar a verdade.

II. Os animais não são capazes de formar conhecimento, mas os homens através do processo dialético podem.

III. As impressões são caracterizam o mundo sensível.

IV. As impressões constituem a primeira fase da dialética que conduz ao conhecimento verdadeiro.

5. 28 (04 + 08 + 16)

Resolução passo-a-passo:

01) A moção de ideias inatas são características do racionalismo.

02) Locke não poderia ser seguidor de Descartes, pois descartes era um racionalista.

04) Pela primeira vez na história da filosofia um pensador apurou intencionalmente a natureza do conhecimento humano.

08) Sendo Locke um empirista, o conhecimento tem sua origem na experiência.

16) O objeto é muito importante para o pensamento de Locke e é analisado em qualidades primárias e secundárias.

6. A

Resolução passo-a-passo:

a) Alegoria é um termo consagrado por Platão e não ocupa lugar de destaque em Sócrates.

b) Maiêutica corresponde a última parte do método socrático, onde as ideias vêm à luz.

c) A ironia corresponde ao método socrático descrito no enunciado. Nele Sócrates questionava seus interlocutores até que eles percebessem sua ignorância.

d) O criticismo não era a metodologia socrática.

Continue estudando
artigo
Post do blog

Teoria do conhecimento

artigo
Post do blog

3 coisas que você definitivamente precisa saber sobre Filosofia Moderna

1. O foco da filosofia moderna estava na teoria do conhecimento