A testosterona é um hormônio andrógeno com estrutura lipídica, também conhecido como hormônio esteroide. É um dos responsáveis pelas características sexuais, desde a embriologia para a determinação sexual, como para gerar as características secundárias nos indivíduos do sexo masculino, além de atuar na regulação do metabolismo e comportamento.

Apesar de estar presente tanto em homens quanto em mulheres, a testosterona é produzida de maneira diferente entre os sexos. Tanto o local de produção, quanto a quantidade e a ação do hormônio no organismo são variadas, como veremos a seguir.

Representação da molécula de testosterona, esteroide com a fórmula química C19H28O2
Representação da molécula de testosterona, esteroide com a fórmula química C19H28O2

Síntese de Testosterona


Apesar do local de produção ser diferente, tanto em homens quanto em mulheres, a biossíntese da testosterona acontece a partir do colesterol. Este lipídio esteroide sofre reações químicas, se transformando primeiramente em progesterona. A progesterona se modifica em androstenediona (outro tipo de hormônio andrógeno) e posteriormente em testosterona. As reações são todas mediadas por enzimas.

Sequência de moléculas, simplificado, para a biossíntese de testosterona. Em vermelho estão indicadas as principais mudanças entre as moléculas
Sequência de moléculas, simplificado, para a biossíntese de testosterona. Em vermelho estão indicadas as principais mudanças entre as moléculas

Produção de testosterona no sexo masculino

Antes de falar da testosterona, vamos lembrar de outro hormônio: o hormônio luteinizante (LH). Nas mulheres o LH promove a ovulação, mas ele também está presente no sexo masculino, e aqui ele vai atuar sobre as células de Leydig, nos testículos, para a produção de testosterona.

O hipotálamo produz o hormônio liberador de gonadotrofina (GnRH), que estimula a produção do LH pela hipófise. O LH atua sobre as células de Leydig no testículo para a produção de testosterona. Com o aumento da testosterona, a produção de GnRH e de LH serão inibidas (feedback negativo).

Esquema do controle hormonal para produção de testosterona em homens
Esquema do controle hormonal para produção de testosterona em homens

Produção de testosterona no sexo feminino

A produção da testosterona no sexo feminino ocorre no córtex das glândulas adrenais (ou suprarrenais), nos ovários e em alguns tecidos periféricos (adiposo e cutâneo). Nestas glândulas, há a modificação de outros esteroides em testosterona. Como visto no tópico anterior, o principal esteroide formado para a conversão é a androstenediona, porém às vezes o estradiol pode ser utilizado neste processo.

No organismo feminino, a biossíntese de testosterona ocorre nas adrenais, nos ovários e em alguns tecidos periféricos
No organismo feminino, a biossíntese de testosterona ocorre nas adrenais, nos ovários e em alguns tecidos periféricos

Diferenciação sexual


A diferenciação das genitálias durante o desenvolvimento embrionário ocorre pela presença do gene SRY no cromossomo Y. Este gene estimula o desenvolvimento de testículos e consequentemente das células de Leydig, que aumentam a produção de testosterona em indivíduos do sexo masculino, em comparação com o feminino, já no período embrionário.

As principais alterações causadas pela testosterona são a diferenciação do ducto de Wolff (ou ducto wolfiano) para formar os canais relacionados a ejaculação, e o desenvolvimento da genitália externa: as gônadas (testículos) se posicionam externamente no corpo e há desenvolvimento do pênis.

  • Em média, aos 17 anos podemos observar o aumento dos níveis de testosterona, e a partir dos 30 a taxa deste hormônio começa a diminuir.

Nas mulheres, a ausência desta alta quantidade de testosterona causa a regressão do ducto de Wolff e o desenvolvimento do ducto de Müller (ou ducto mülleriano), que se diferencia nas trompas uterinas, e as gônadas (ovários) permanecem dentro do corpo.

Esquema da diferenciação sexual embrionária, mediada principalmente pela presença da testosterona
Esquema da diferenciação sexual embrionária, mediada principalmente pela presença da testosterona

Para que serve a testosterona?


A influência da testosterona no metabolismo é bastante semelhante nos homens e nas mulheres. Porém, nos homens a influência é mais intensa pelo hormônio ser produzido em maior quantidade, e isso acaba desenvolvendo o que chamamos de características sexuais secundárias, como o desenvolvimento muscular, aumento das estruturas sexuais (testículos e pênis), a mudança na voz e o aumento dos pelos.

  • Nas mulheres, a testosterona pode estar presente em níveis até 10 vezes menor que nos homens.

Podemos ver abaixo as funções no organismo causadas por este hormônio:

Hormônio anabolizante

A testosterona estimula uma maior síntese de proteínas que formam fibras musculares. Pela maior quantidade de testosterona em homens do que em mulheres, pode ser mais comum e/ou facilitado o ganho de massa muscular no sexo masculino, principalmente durante a puberdade. Mais pra frente, neste artigo, vamos ver sobre a relação dos exercícios físicos e a testosterona!

Alterações na aparência

Durante a puberdade, tanto em homens quanto em mulheres, podemos observar o crescimento de pelos e aumento da oleosidade da pele e cabelo, e essas alterações são causadas por maiores níveis de testosterona.

Com o aumento da testosterona, podemos ver um aumento no tamanho e espessura dos pelos no corpo, além do aparecimento de pelos em regiões que não havia antes, como nas axilas, na região pubiana e no rosto
Com o aumento da testosterona, podemos ver um aumento no tamanho e espessura dos pelos no corpo, além do aparecimento de pelos em regiões que não havia antes, como nas axilas, na região pubiana e no rosto

Alterações na voz

Apesar de também ocorrer em mulheres, é mais perceptível e agravada em homens. Devido ao aumento da testosterona, a cartilagem que forma a laringe se espessa e aumenta de tamanho, engrossando a voz. Devido a estatura óssea, nos homens pode ser possível observar o desenvolvimento do pomo de adão, na região do pescoço, formado pela cartilagem da tireoide e da laringe.

Músculo cardíaco

A testosterona ajuda no desenvolvimento e manutenção dos ventrículos cardíacos, mantendo esta região do coração mais forte.

A proeminência laríngea, conhecida como pomo de adão, é uma estrutura cartilaginosa que se desenvolve de maneira mais proeminente em indivíduos do sexo masculino
A proeminência laríngea, conhecida como pomo de adão, é uma estrutura cartilaginosa que se desenvolve de maneira mais proeminente em indivíduos do sexo masculino

Fertilidade e desejo sexual

Por conta da testosterona, ocorre o estímulo hormonal para a produção de espermatozoides, sendo importante para a fertilidade masculina. A presença deste hormônio no organismo atua no aumento da libido (desejo sexual) principalmente em homens, apesar de também influenciar no organismo feminino. Em homens, também influencia nas ereções.

Comportamento

Além da libido, taxas altas de testosterona tendem a aumentar a agressividade e concentrações mais baixas podem levar a quadros depressivos. Essa influência hormonal vai ocorrer tanto em homens quanto em mulheres.

Testosterona, massa muscular e suplementos


A testosterona no organismo ajuda na redução do tecido adiposo e no aumento da massa muscular por ser um hormônio anabolizante, como vimos no tópico anterior. Isso significa que, não só auxilia na perda de gordura, mas também atua na captação de aminoácidos e síntese de proteínas pelas células musculares.

Dessa forma, ao realizar exercícios físicos, nosso organismo já aumenta a produção hormonal de testosterona. Porém, a utilização de outros esteroides anabolizantes, como suplementos, também pode auxiliar na hipertrofia muscular. O uso descontrolado de anabolizantes pode causar o hipogonadismo: por estar adquirindo testosterona de uma fonte exógena, o corpo para de produzir a própria testosterona, e isso pode causar a atrofia dos testículos.

A testosterona facilita o crescimento muscular
A testosterona facilita o crescimento muscular

Alterações nos níveis de testosterona


Além do controle hormonal a partir de medicamentos, existem algumas formas e condições onde os níveis de testosterona produzida no organismo podem aumentar ou diminuir.

Fatores que aumentam a testosterona

  • Comer mais vegetais e castanhas (fontes de sais minerais como o Zinco e Vitaminas);

  • Comer carnes magras (evitar gorduras);

  • Atividade física;

  • Atividade sexual;

  • Uso de suplementos (sempre consultar um médico ou nutricionista antes de tomar suplementos);

  • Hipergonadismo.

Fatores que diminuem a testosterona

  • Estresse;

  • Falta de sono;

  • Dietas com muito açúcar e gorduras;

  • Diabetes;

  • Uso de anabolizantes;

  • Lesões no testículo;

  • Andropausa;

  • Hipogonadismo.

    Problemas relacionados à testosterona

Os problemas são mais comuns e perceptíveis em homens. A baixa de testosterona pode acontecer pelo envelhecimento, durante a andropausa, ou por hipogonadismo, onde os testículos produzem pouca ou nenhuma testosterona. Já o excesso pode ocorrer pelo hipergonadismo, onde os testículos produzem uma quantidade maior do hormônio do que o necessário. O uso de testosterona por adição hormonal também pode levar ao excesso deste hormônio no organismo.

Pouca testosterona no organismo

Dentre os problemas relacionados a baixa quantidade de testosterona no organismo, podemos citar:

  • Fraqueza e redução da massa óssea;

  • Redução do volume muscular;

  • Redução da libido;

  • Alterações de humor (irritação ou tristeza);

  • Aumento da gordura corporal;

  • Queda e redução de pelos.

Excesso de testosterona no organismo

Dentre os problemas relacionados a baixa quantidade de testosterona no organismo, podemos citar:

  • Crescimento muscular;

  • Aumento da libido;

  • Alterações de humor (aumenta agressividade);

  • Aumento do colesterol (principalmente com o uso de testosterona exógena);

  • Crescimento de pelos;

  • Pressão alta;

  • Atrofia (redução) dos testículos (principalmente com o uso de testosterona exógena);

  • Aumento de mamas.

Problemas com a testosterona em mulheres

A redução da testosterona em mulheres pode causar alterações no humor e redução da libido. Quando há excesso de testosterona na mulher, que ocorre principalmente por conta de uso de anabolizantes, podemos observar alguns sintomas:

  • Crescimento de pelos;

  • Aumento do clitóris;

  • Redução dos seios;

  • Aumento do apetite;

  • Voz mais grossa;

  • Acne.

Resumo sobre testosterona

Agora que você já sabe tudo sobre o que é a testosterona e para que ela serve no nosso organismo, vamos relembrar dos principais pontos:

  • Testosterona é um hormônio andrógeno e anabolizante, presente em maior quantidade em homens;

  • Ela é responsável pela diferenciação sexual durante a embriologia e pelos caracteres sexuais secundários no sexo masculino;

  • Pode causar variações físicas e comportamentais dependendo da concentração deste hormônio;

  • Está diretamente relacionada à fertilidade masculina, e também promove a libido em homens e mulheres;

  • Está relacionada ao aumento da massa muscular por conta da sua capacidade de estimular a síntese de proteínas;

  • O uso de testosterona exógena sem prescrição ou acompanhamento de profissionais pode causar problemas no organismo, tanto em homens quanto em mulheres.

Para melhorar sua nota no ENEM nas questões de biologia, clique aqui para conferir outros conteúdos do Descomplica!

Continue estudando
Post do blog

Exercícios Resolvidos: Sistema Endócrino

Leia o resumo “Como funciona o sistema endócrino?” e resolva os exercícios abaixo.
artigo
Post do blog

Mapa Mental: Controle Endócrino

Esse esquema de Controle Endócrino resumiu tudo para te ajudar a passar no vestibular! 😀
artigo