Modelo de Redação: A relação entre o indivíduo e a beleza na contemporaneidade

Modelo de Redação: A relação entre o indivíduo e a beleza na contemporaneidade

Sabe aquele tema de redação que nós indicamos para você na semana 40? Ele virou um modelo de redação aqui no blog, feito pelo monitor Bernardo Soares, para você se inspirar e comparar com a sua própria redação. Você também pode enviar sua redação para nós! Clique aqui!

Veja aqui a coletânea de textos completa para este tema e faça já a sua redação: A relação entre o indivíduo e a beleza na contemporaneidade.


“Narciso acha feio o que não é espelho”. A frase, famosa na Sampa de Caetano Veloso, reflete integralmente a sociedade do século XXI, que, atingida pela supervalorização do olhar, prefere dar valor à beleza e à criação de padrões estéticos, deixando de lado algo mais profundo, o que, em um contexto de liquidez moderna, pode ser muito prejudicial ao homem. Nesse sentido, cabe analisar como se constrói a relação do indivíduo com a aparência a fim de que, negando Vinicius de Moraes, a beleza deixe de ser fundamental e passe a constar, apenas, como acessório nas relações humanas.

Antes de tudo, convém analisar o processo de construção do que temos hoje, nas percepções humanas. Adaptando a ideia de modernidade líquida de Zigmunt Bauman, o enfraquecimento das relações humanas e, principalmente, as mudanças nos padrões têm feito parte da vida em coletivo. Como em um ciclo, a perfeição estética, forte na Antiguidade Clássica e no Renascimento, volta à tona, gerando uma preocupação, no indivíduo, com o próprio corpo e, consequentemente, com o que vê no outro.

É importante perceber, porém, que a busca pela perfeição não deixa o homem livre de riscos. Isso porque, no trabalho de se adaptar ao que é imposto, todas as soluções parecem viáveis. Nesse contexto, surgem transtornos como a bulimia e a anorexia, além de altos gastos com cirurgias, tratamentos e dietas milagrosas. A mídia, que deveria refletir o homem e suas relações, acaba desenhando o que quer ver como padrão na sociedade, causando um choque de imagem e, consequentemente, impedindo o indivíduo de viver a plena felicidade, pois está eternamente preocupado com a forma como é visto.

Dessa forma, portanto, é evidente que o homem contemporâneo atribui à beleza uma importância nociva a seu desenvolvimento. O culto ao belo se traduz perigoso em uma sociedade imediatista, que trata as relações pessoais de forma superficial, que mutila o próprio corpo em busca de padrões. Assim, a lição extraída é a de que precisamos ter cuidado com a porção Narciso que habita em nós, ou nos afogaremos tal qual o personagem do mito grego. Sim, Vinicius estava errado: há coisas mais importantes que a beleza.

Continue estudando
artigo
Post do blog

Modelo de Redação: A violência escolar no Brasil

Modelo de Redação: A violência escolar no Brasil
artigo
Post do blog

Modelo de Redação: O suicídio entre os jovens brasileiros – Como enfrentar esse problema?

Modelo de Redação: O suicídio entre os jovens brasileiros – Como enfrentar esse problema?