Conheça a célula vegetal e suas funções

Descubra todas as estruturas da célula vegetal e saiba como elas auxiliam no processo fotossintético.

As células vegetais possuem muitas semelhanças com as células animais, uma vez que possuem muitas organelas em comum, são eucarióticas. Porém, existem algumas características que são exclusivas da célula vegetal.

Uma característica das plantas que diferem dos animais é a produção de glicose através da fotossíntese. Para isso, existe uma organela que realizará este processo metabólico, tornando-as autotróficas.

Figura 1- imagem da célula vegetal

1. Estruturas encontradas na célula vegetal

A célula vegetal possui características únicas que diferem das células animais. Dentre as estruturas encontradas neste tipo de célula estão:

  • Parede Celular 🡪 estrutura composta por um polissacarídeo chamado celulose. Sua função é compor a estrutura da célula, dando resistência as plantas e mantendo a sua forma. Por ser uma estrutura rígida, ela protege e evita a ruptura da célula. Em alguns tecidos, a parede é impregnada de lignina, que funciona como um reforço nas paredes celulares. A lignina é encontrada em paredes de células do esclerênquima e xilema, por exemplo.

  • Vacúolo Central 🡪 é uma bolsa que apresenta em seu interior uma solução aquosa constituída por água, sais minerais, além de substâncias úteis como açúcares e proteínas, como substâncias tóxicas, como cafeína, nicotina, tanino, etc. São também, responsáveis pelo controle osmótico e reprodução dos vegetais (armazenam pigmentos que atraem os insetos). É uma organela que pode ocupar a maior parte do volume da célula.

  • Plastos 🡪 são organelas que possuem dupla membrana, material genético (DNA) próprio, plasmídeos e ribossomos 70s. São divididos em cromoplastos e leucoplastos.

  • Cromoplastos 🡪 plastos que possuem pigmentos e realizam a fotossíntese. Os mais comuns são cloroplastos (pigmento verde), xantoplastos (pigmento amarelo), eritroplasto (pigmento vermelho).

Figura 2- imagem do cloroplasto
  1. Leucoplastos 🡪 plastos sem pigmentos e responsáveis pelo armazenamento de substâncias. Os mais comuns são amiloplastos (reservam amido), oleoplastos (reservam óleos), proteoplastos (reservam proteínas).

OBS.: Quando expostos à luz, o leucoplasto pode transformar-se em cromoplasto.

  • Glioxissomos 🡪 Produz ácido glioxílico, que atua auxiliando o processo de germinação de sementes e participa do processo de conversão de lipídios em açúcares.

2. Estruturas não encontradas na célula vegetal

Existem algumas estruturas citoplasmáticas que são encontradas na célula animal, porém, não se encontram na célula vegetal. Vamos entender essas estruturas:

  • Centríolo 🡪 Não ocorre nas células de vegetais como as angiospermas e a maioria das Gimnospermas. Existe apenas em vegetais inferiores na escala evolutiva, como as Briófitas, Pteridófitas e algumas Gimnospermas. O centríolo é um organóide associado à divisão celular, produzindo as fibras do fuso acromático, e a produção de cílios e flagelos. Em vegetais que não possuem centríolo, as fibras do fuso acromático serão formadas em uma região chamada centrossomo.
Figura 3- imagem do centríolo
  • Lisossomo 🡪 é consenso que os lisossomos estão ausentes nas células vegetais, sendo uma organela característica da célula animal. Sua função principal é realizar a digestão intracelular.

  • Glicocálix 🡪 os vegetais não possuem o glicocálix em sua membrana. Esta estrutura composta de glicídios associados a proteínas ou lipídios é exclusiva da célula animal, possuindo função de reconhecimento celular.

Figura 4- membrana plasmática com estruturas de membrana como o glicocálix

Ao contrário das células animais, que utilizam o glicogênio como reserva energética, as células vegetais armazenam amido. Também há diferenças entre a comunicação da célula vegetal e animal. Enquanto as células vegetais se comunicam através de conexões chamadas plasmodesmas, nas células animais, as junções comunicantes são responsáveis por esse papel.

3. Estruturas em comum da célula vegetal e animal

Ribossomos 🡪 Assim como os centríolos, não são considerados como organelas por alguns cientistas, tendo em vista que não são envoltos por membrana. Os ribossomos livres no citoplasma sintetizam proteínas para uso interno da célula.

Retículo Endoplasmático Rugoso 🡪 também chamado de ergastoplasma, é formado por uma série de sacos achatados, com ribossomos aderidos a sua membrana. Sua principal função é a síntese de proteínas, que serão enviadas ao meio extracelular através do Complexo Golgiense.

Figura 5- imagem do retículo endoplasmático rugoso próximo ao núcleo e do Complexo Golgiense

Retículo Endoplasmático Liso 🡪 Composto por cisternas membranosas, apresenta mais de uma função: sintetiza lipídios, atua na desintoxicação do organismo (metabolização de álcool, por exemplo) e está relacionada ao transporte de substâncias até o Complexo Golgiense.

Complexo Golgiense 🡪 é formado por uma série de bolsas membranosas que lembram pratos empilhados e tem diversas funções como: armazenamento, empacotamento e secreção de substâncias recebidas, formação do acrossoma nos espermatozoide e síntese de glicídios. Também forma lisossomos na célula animal e a lamela média na célula vegetal.

Figura 6- imagem do Complexo Golgiense

Peroxissomos 🡪 Organelas esféricas responsáveis por metabolizar a água oxigenada (H2O2, também chamado de peróxido de hidrogênio), um dos principais radicais livres. São vesículas repletas de catalase, uma enzima capaz de quebrar H2O2, transformando em H2O + O2.

Mitocôndria 🡪 A mitocôndria é a usina energética da célula, sendo responsável pela produção do ATP através do processo da respiração celular. Teoriza-se que as mitocôndrias foram seres procariontes que passaram a estabelecer uma relação simbionte com eucariontes. Uma evidência é o fato do DNA mitocondrial ser circular, muito semelhante ao DNA bacteriano, além dos ribossomos 70s. O nome desta teoria é Teoria Endossimbionte.

Figura 7- imagem da mitocôndria
  • Membrana plasmática 🡪 membrana composta por uma bicamada fosfolipídica que delimita a célula e promove a passagem de algumas substâncias entre o interior e o exterior da célula (permeabilidade seletiva).

    Figura 8- imagem da membrana plasmática
  • Carioteca (membrana nuclear) 🡪 membrana que envolve e protege o material genético (DNA), separando-o do citoplasma. Apresenta poros que permite a passagem de substâncias entre o núcleo e o citoplasma.

    Figura 9- imagem da carioteca com os poros. Mais ao centro encontramos o nucléolo.
  • Nucléolo 🡪 região presente no núcleo que está relacionado a produção de ribossomos para a célula.

Algumas células de plantas especializadas incluem: células de revestimento (que irão constituir a epiderme e a periderme), células de sustentação (que irão constituir o colênquima e esclerênquima), células de preenchimento (que irão constituir os parênquimas) e células condutoras (que irão constituir o xilema e floema).

👉 Se prepare para o Enem e Vestibulares estudando Biologia de graça no Descomplica!

💚

A maior sala de aula direto da sua casa!

Junte-se aos 230 mil alunos que descobriram como melhorar os resultados estudando online! 👉 Clique aqui e saiba como!

Continue estudando
Post do blog

Mapa Mental: Tipos de Célula

Quer saber mais sobre os Tipos de Célula? Confira este mapa mental que vai salvar sua prova de biologia!
artigo
Post do blog

Saiba tudo sobre tipos celulares e membrana!

A célula é a unidade fundamental de todos os seres vivos.
artigo