Como reconhecer a função emotiva da linguagem?

O sistema comunicativo é formado por elementos básicos – o emissor, o receptor, a mensagem, o código, o referente e o canal -, desenvolvido a partir de um modelo proposto pelo linguista Roman Jakobson. Para introduzir a matéria, veja o vídeo do professor Rafael Cunha sobre o assunto:

Como reconhecer a função emotiva da linguagem?

Existem as chamadas funções da linguagem, que seriam a ênfase do discurso em cada um daqueles elementos básicos. O emissor, ou também chamado de locutor, relaciona-se à função emotiva.

A função emotiva

Quando a intenção do produtor do texto é posicionar-se em relação ao que está abordando, expressando seus sentimentos e emoções e; o texto resultante é subjetivo, temos a função emotiva. Em outras palavras, ocorre quando o emissor é posto em destaque. Uma autobiografia ou um diário são exemplos desses textos. Veja outros exemplos:

Velha infância

_Você é assim
Um sonho pra mim
E quando eu não te vejo
Eu penso em você
Desde o amanhecer
Até quando eu me deito
Eu gosto de você
E gosto de ficar com você
Meu riso é tão feliz contigo
O meu melhor amigo é o meu amor_
[…]

(ANTUNES, A. / BROWN, C. / MORAES, D. / MONTE, M. / BABY, Pedro. CD Tribalistas. EMI. 2002.)

Ainda que de gêneros diferentes, os dois textos ─ a tira de Quino e a música dos Tribalistas ─ apresentam uma linguagem centrada na 1ª pessoa, dando ênfase à expressividade, à subjetividade do emissor.

EXERCÍCIOS

1. (UFRJ) Terra em chamas
Com seu privilégio territorial, o Brasil jamais deveria ter o campo conflagrado. Existem 371 milhões de hectares prontos para a agricultura no país, uma área enorme, que equivale aos territórios de Argentina, França, Alemanha e Uruguai somados. Mas apenas 14% dessa terra, igual à Alemanha, tem algum tipo de plantação. Outros 48%, área quase igual à do México, destinam-se à criação de gado. O que sobra, uma África do Sul inteira, é o que os especialistas chamam de terra ociosa. Nela não se produz 1 litro de leite, uma saca de soja, 1 quilo de batata ou um cacho de uva. Por trás de tanta terra à toa esconde-se outro problema agrário brasileiro. Quase metade da terra cultivável está nas mãos de 1% dos fazendeiros, enquanto uma parcela ínfima, menos de 3%, pertence a 3,1 milhões de produtores rurais. É como se a população da cidade de Resende, no interior do Estado do Rio de Janeiro, fosse dona de três Franças, enquanto a população da Nova Zelândia tivesse apenas um Estado de Santa Catarina.

(“Sangue em Eldorado”. Veja. SP)

Glossário: – conflagrado: em agitação, em convulsão.

Um dos aspectos do problema tematizado em “Terra em chamas” está discutido no seguinte trecho:

 O que sobra, uma África do Sul inteira, é o que os especialistas chamam de terra ociosa. Nela não se produz 1 litro de leite, uma saca de soja, 1 quilo de batata ou um cacho de uva. Por trás de tanta terra à toa esconde-se outro problema agrário brasileiro.

Aponte a diferença de sentido entre “terra ociosa” e “terra à toa”, no trecho destacado.

2. (UFRJ) O emprego da expressão “terra à toa”, em confronto com a expressão “terra ociosa”, manifesta a função emotiva (ou expressiva) da linguagem. Explique por quê.

3.

50 anos

Eu vim aqui prestar contas

de poucos acertos, de erros sem fim.

Eu tropecei tanto às tontas

que acabei chegando no fundo de mim.

O filme da vida não quer despedida

e me indica: acha a saída

e pede socorro onde a lua

encanta o alto do morro

e gane que nem cachorro

correndo atrás do momento que foi vivido.

Venha de onde vier

ninguém lembra porque quer.

Eu beijo na boca de hoje

as lágrimas de outra mulher

50 anos são Bodas de Sangue:

casei com a inconstância e o prazer.

Perdoo a todos, não peço desculpas

– foi isso que eu quis viver.

Acolho o futuro de braços abertos,

citando Cartola: eu fiz o que pude.

Aos 50 anos, insisto na juventude.

(BASTOS, Cristóvão / BLANC, Aldir. CD 50 Anos. Alma Produções Ltda., 1996.)

Além da função poética, verifica-se outra função de linguagem no texto. Diga qual é ela e justifique sua resposta com trechos da letra.

4. (ENEM)

Desabafo

“Desculpem-me, mas não dá pra fazer uma cronicazinha divertida hoje. Simplesmente não dá. Não tem como disfarçar: esta é uma típica manhã de segunda-feira. A começar pela luz acesa da sala que esqueci ontem à noite. Seis recados para serem respondidos na secretária eletrônica. Recados chatos. Contas para pagar que venceram ontem. Estou nervoso. Estou zangado.”

(CARNEIRO, J. E. Veja, 11 set. 2002 (fragmento).)

 Nos textos em geral, é comum a manifestação simultânea de várias funções da linguagem, com o predomínio, entretanto, de uma sobre as outras. No fragmento da crônica Desabafo, a função da linguagem predominante é a emotiva ou expressiva, pois:

a) o discurso do enunciador tem como foco o próprio código.
b) a atitude do enunciador se sobrepõe àquilo que está sendo dito.
c) o interlocutor é o foco do enunciador na construção da mensagem.
d) o referente é o elemento que se sobressai em detrimento dos demais.
e) o enunciador tem como objetivo principal a manutenção da comunicação.

5) (ENEM)

Pequeno concerto que virou canção

Não, não há por que mentir ou esconder

A dor que foi maior do que é capaz meu coração

Não, nem há por que seguir cantando só para explicar

Não vai nunca entender de amor quem nunca soube amar

Ah, eu vou voltar pra mim

Seguir sozinho assim

Até me consumir ou consumir toda essa dor

Até sentir de novo o coração capaz de amor

(VANDRE. G. Disponível em: http://www.letras.terra.com.br)

Na canção de Geraldo Vandré, tem-se a manifestação da função poética da linguagem, que é percebida na elaboração artística e criativa da mensagem, por meio de combinações sonoras e rítmicas. Pela análise do texto, entretanto, percebe-se também, a presença marcante da função emotiva ou expressiva, por meio do emissor que:

a) imprime à canção as marcas de sua atitude pessoal, seus sentimentos;
b) transmite informações objetivas sobre o tema de que trata a canção;
c) busca persuadir o receptor da canção a adotar um certo comportamento;
d) procura explicar a própria linguagem que utiliza para construir a canção;
e) objetiva verificar ou fortalecer a eficiência da mensagem veiculada.

GABARITO

1. A expressão “terra ociosa” significa terra desocupada ou improdutiva. Em “terra à toa”, tem-se ainda o sentido de terra abandonada, desprezada ou largada.

2. A expressão “terra à toa” manifesta a função emotiva da linguagem porque revela a opinião (ou avaliação) do emissor do texto acerca do objeto de que fala.

3. Função emotiva (ou expressiva), pois o texto revela os sentimentos do eu poético em 1a pessoa.

4. B

5. A

Continue estudando
Post do blog

Mapa Mental: Funções da Linguagem

Já sabe tudo sobre português? Comece o ano aprendendo as funções da linguagem e garanta desde já sua vaga no vestibular! <3
artigo
Post do blog

6 músicas para você nunca mais esquecer as funções da linguagem!

Começar o ano estudando pode ser difícil, mas a gente te ajuda! Vem com a gente aprender as funções da linguagem ouvindo música!
artigo