Como fazer a redação da Fuvest e tirar nota máxima!

Quando falamos de Fuvest, é muito provável que você pense: “Ah, mas esse vestibular é muito difícil de passar, isso não é para mim”. Calma, não é bem assim. Estamos falando do vestibular que seleciona os futuros calouros da Universidade de São Paulo e que é um dos mais concorridos do país, mas que não é impossível de ser feito. Existem inúmeras fórmulas para a aprovação, mas um ponto importantíssimo do vestibular é a redação. E não é para menos! Afinal, no caso da Fuvest, a dissertação argumentativa cobrada na segunda fase do vestibular vale 12,5% da sua média total! É muita coisa, né? 

Rolam algumas dicas para escrever bem, independente do gênero textual. Mas, pode ter certeza que alguns pontos são superimportantes para mandar bem na argumentação e outros ainda mais certeiros para tirar dez na dissertação da Fuvest. Confere aqui essa lista de requisitos que vão te ajudar a entender como fazer a redação da Fuvest e tirar um notão digno de bixo. 😉

Se liga no título!


A Fuvest geralmente cobra redações com títulos – diferente, por exemplo, da redação do Enem, na qual o título não é obrigatório. Fique atento à proposta da redação: se não estiver indicando nada sobre a obrigatoriedade do título, seu uso é opcional.

Treine com os amigos!

Marque de se encontrar uma vez por semana com amigos que também estão estudando para a Fuvest, para estudarem redação juntos. Vocês podem optar por fazer, em cada encontro, redações com os temas antigos que já caíram no vestibular. Depois, podem trocar as redações entre si para serem corrigidas. Essa é uma boa forma de conseguir novas referências sobre um tema e também de reparar em possíveis erros que você esteja cometendo e não consiga ver em sua autocorreção.

Cabeça fresca

É sempre uma boa pedida começar o dia de prova com a dissertação. O motivo é simples: escrever uma redação fadona requer muito raciocínio e, para isso, o ideal é estar descansado. É muito provável que depois de dez questões discursivas de português e literatura, sua concentração para fazer um texto não seja a mesma de quando começou a resolver a prova.

Uma estratégia que você pode seguir é a seguinte: comece montando um rascunho de estrutura que hierarquize os seus argumentos sobre aquele determinado tema. Depois desse primeiro passo, faça as questões dissertativas e só depois volte para revisar o escopo do seu texto. Esse distanciamento é uma boa dica para conseguir enxergar erros que ficam mais difíceis de serem percebidos quando você está lendo o tempo todo aquela redação.  

Um texto autoral

A Fuvest ama redações que fogem do senso comum! Isso quer dizer que você deve evitar reproduzir opiniões que a sociedade diz que são corretas, sem pensar realmente sobre elas.

A redação da Fuvest aborda temas complexos, mas ainda assim é possível escrever uma redação fadona. Já que estamos falando sobre uma dissertação argumentativa, é preciso apresentar um posicionamento sobre um tema. Um candidato que sabe desenvolver seus argumentos, apresenta um raciocínio mais completo.

Para deixar sua tese argumentativa ainda melhor, você pode demonstrar conhecimento de mundo usando citações que validem o que você escreveu. Um trecho de música, uma frase famosa ou até mesmo a opinião de alguém muito influente no tema proposto: citações são bem vistas pela banca, desde que elas dialoguem com o assunto da sua redação.

São essas características que definem um texto autoral: quando o candidato consegue expor o seu ponto de vista por meio de argumentos desenvolvidos com base no seu próprio repertório de informações acumulado ao longo de sua vida. A Fuvest procura candidatos que consigam ir além dos textos de apoio da proposta de redação.

Estrutura

Comece a sua redação indo direto ao ponto. A banca avaliadora não vê com bons olhos textos que enrolam muito para começar a falar sobre o tema proposto. Uma boa introdução já apresenta o problema logo nas primeiras linhas do texto, em que o candidato apresenta uma perspectiva do assunto.

É recomendado que logo no primeiro parágrafo, após a introdução, você já adote um posicionamento sobre o tema, usando algumas partes dos textos de apoio que validem o seu ponto de vista. Não se preocupe, você não vai ficar no senso comum se citar poucos trechos da coletânea, afinal, eles foram colocados ali para um motivo: te ajudar a escrever sua dissertação! Só não esqueça que ficar apenas nestas ideias não vai destacar a sua redação dentre as demais e que não é permitido copiar trechos na íntegra da coletânea. Nos parágrafos em diante, você pode desenvolver sua tese usando seu repertório de referências próprio para validar seus  argumentos.

Por fim, a conclusão é um ponto importante na redação da Fuvest. Muitos alunos pensam que toda dissertação argumentativa precisa terminar com uma proposta social que possa ser colocada em prática para solucionar o tema sugerido, mas não é bem assim. Provavelmente, isso acontece por conta da redação do Enem, que pede essa conclusão, e por conta do número de vestibulandos que prestam a prova. Na conclusão da Fuvest, não é preciso propor uma intervenção. É bem tranquilo finalizar o seu texto com poucas linhas, apresentando um panorama ou uma reflexão generalizada sobre o tema.

Curtiu as dicas? Já tinha pensado em alguma delas antes? Em geral, os temas abordados pela Fuvestsão densos e subjetivos, geralmente relativos a algum aspecto social. A coletânea geralmente usa teóricos das ciências humanas – sociólogos, escritores, filósofos, e comunicadores – e você precisa ter uma bagagem legal para saber dialogar com esses autores no seu texto. Fazer uma boa redação pode ser o fator decisivo para te colocar na faculdade ano que vem. Confira os temas de redação dos últimos anos da Fuvest e parta para a prática, que é a melhor forma de aprender. Vamos juntos rumo ao título de bixo ano que vem? 😉

Continue estudando
Post do blog

Redação 2011 – Fuvest 2011

Essa é para os vestibulandos de São Paulo!
artigo