Classes Gramaticais: Adjetivo e Numeral

Quer saber mais sobre o adjetivo e o numeral? Vem cá que a gente te mostra tudo sobre essas classes gramaticais para lacrar no Enem!

Hoje veremos mais duas que também são variáveis: o adjetivo e o numeral.

Adjetivo

Adjetivo é a palavra que caracteriza o substantivo e é variável em gênero, número e grau.

Quanto à classificação, podem ser:

a) simples: apresentam um único radical (ex: moça alegre, remédio amargo).
b) compostos: apresentam mais de um radical (ex: vestido azul-marinho, acordo franco-brasileiro)
c) primitivos: não provêm de outra palavra da língua portuguesa( ex: calça bege, amigo fiel)
d) derivados: originados de outras palavras da língua portuguesa (olhos esverdeados, rapaz infeliz).

Locução adjetiva é a expressão formada de preposição + substantivo (ou advérbio), com valor de adjetivo.

Ex.: material de guerra (bélico)
Ex.: comportamento de criança (infantil)

Adjetivos pátrios são os referentes a países, continentes, cidades, regiões, etc., exprimindo nacionalidade ou origem.

Ex.: brasileiro, goiano, carioca, acreano, capixaba.

No que se refere ao gênero, a flexão dos adjetivos é semelhante à dos substantivos: podem ser do gênero masculino ou feminino.

Formam o plural da mesma maneira que os substantivos simples, ou seja, a terminação do plural varia conforme a terminação do singular:

Ex.: pessoa honesta / pessoas honestas
Ex.: regra fácil / regras fáceis

Os substantivos empregados como adjetivos são invariáveis.

Ex.: blusa vinho / blusas vinho, camisa rosa / camisas rosa, homem aranha / homens aranha

Plural dos adjetivos compostos

a) Como regra geral, nos adjetivos compostos somente o último elemento varia, tanto em gênero quanto em número.

Ex.: acordo sócio-político-econômico / acordos sócio-político-econômicos
Ex.: decisão sócio-político-econômica / decisões sócio-político-econômicas

b) Se o último elemento for substantivo, o adjetivo composto fica invariável.
Ex.: blusa verde-limão / blusas verde-limão
Ex.: sapato marrom-café / sapatos marrom-café

c) Os adjetivos compostos azul-marinho e azul-celeste são invariáveis.
Ex.: blusa azul-marinho / blusas azul-marinho
Ex.: camisa azul-celeste / camisas azul-celeste

d) No adjetivo composto surdo-mudo, ambos os elementos variam.
Ex.: rapaz surdo-mudo / rapazes surdos-mudos
Ex.: moça surda-muda / moças surdas-mudas

Quanto ao grau, além da flexão normal (moça elegante), o adjetivo pode também estar no comparativo, que ocorre quando a qualidade que ele apresenta está em comparação com a de outros seres, e no grau superlativo quando essa qualidade se apresenta em grau elevado. A mudança de grau pode ser realizada por meio de dois processos: sintético ou analítico.

a) sintético: a alteração de grau é feita pelo acréscimo de sufixos.
Ex.: Aquele bolo é saborosíssimo.

b) analítico: a alteração de grau é feita pelo acréscimo de alguma palavra que modifique o adjetivo.
Ex.: Aquele bolo é muito saboroso.

Grau comparativo

O comparativo pode ser de igualdade, de inferioridade ou de superioridade. É formado da seguinte forma:
a) Comparativo de igualdade
Usando as palavras tão … quanto.
Ex: Marcos é tão esforçado quanto Pedro.

b) Comparativo de inferioridade
Empregando as palavras menos… que ou do que:
Ex: Marcos é menos esforçado do que/que Pedro.

c) Comparativo de superioridade
Usando as palavras mais … que ou do que:
Ex: Marcos é mais elegante do que/que Pedro.

Comparativos sintéticos

Na maioria das vezes, o grau comparativo é obtido pelo processo analítico. Entretanto, existem alguns poucos adjetivos que formam o comparativo de superioridade pelo processo sintético.
Nesses casos, deve-se preferir a forma sintética na comparação entre dois seres; a forma analítica somente deverá ser empregada quando se comparam duas qualidades do mesmo ser.

Ex.: Esta casa é mais grande que confortável. (comparação de duas qualidades do mesmo ser)
Ex.: Pedro é mais bom que esperto. (comparação de duas qualidades do mesmo ser)

Grau superlativo

O superlativo pode ser absoluto ou relativo.
a) absoluto: a qualidade atribuída pelo adjetivo não é expressa em relação a outros elementos.
Ex.: A moça ficou muito feliz com a notícia (superlativo absoluto analítico)
Ex.: A moça ficou felicíssima com a notícia. (superlativo absoluto sintético)

b) relativo: a qualidade atribuída pelo adjetivo é expressa em relação a outros elementos.
Ex.: Esta exercício é o mais fácil do capítulo. (superlativo relativo de superioridade)
Ex.: Este exercício é o menos fácil do capítulo. (superlativo relativo de inferioridade)

Normalmente, o superlativo absoluto sintético é feito pelo acréscimo dos sufixos superlativos: -íssimo, -ílimo ou -érrimo. Quando o adjetivo apresenta mais de uma forma para o superlativo absoluto sintético, a primeira é erudita; as demais são formas populares consagradas pelo uso.

Numeral

Numeral é a palavra que indica os seres em termos numéricos, atribuindo-lhes quantidade ou os situando em determinada sequência.

Além dos numerais mais conhecidos, há também outras palavras consideradas numerais porque denotam quantidade, proporção ou ordenação, como no caso de década, dúzia, par, ambos(as), novena.

A classificação dos numerais é a seguinte:

a) cardinais: indicam quantidade determinada, contagem, medida: um, dois, duzentos, três mil, etc.
b) ordinais: indicam a ordem ou lugar do ser numa determinada série: primeiro, segundo, vigésimo, centésimo, etc.
c) fracionários: indicam parte de um inteiro, divisão, fração: meio, metade, dois quintos, etc.
d) multiplicativos: expressam ideia de multiplicação: dobro, triplo, sêxtuplo, etc.

Quanto à flexão de gênero, tem-se que:

  • Os numerais cardinais que variam em gênero são um/uma, dois/duas e os que indicam centenas de duzentos/duzentas em diante: trezentos/trezentas; quatrocentos/quatrocentas, etc. Cardinais como milhão, bilhão, trilhão, etc. variam em número: milhões, bilhões, trilhões, etc. Os demais cardinais são invariáveis.
  • Os numerais ordinais variam em gênero e número, conforme o exemplo a seguir: primeiro/primeira/primeiros/primeiras.
  • Os numerais multiplicativos são invariáveis quando atuam em funções substantivas: fizeram o dobro do esforço e conseguiram o triplo de produção; quando atuam em funções adjetivas, esses numerais flexionam-se em gênero e número: aplicou doses triplas do medicamento.
  • Os numerais fracionários flexionam-se em gênero e número: um terço/dois terços; já os numerais coletivos flexionam-se somente em número: uma dúzia, dois milheiros.

Emprego dos Numerais

a) Para designar papas, reis, imperadores, séculos e partes em que se divide uma obra, utilizam-se os ordinais até décimo e a partir daí os cardinais, desde que o numeral venha depois do substantivo. Confira os exemplos abaixo:
João Paulo II (segundo) Luís XVI (dezesseis)
Parágrafo XI (sexto) Capítulo XXIII (vinte e três)
Século V (quinto) Século XXI (vinte e um)
Canto IV (quarto)

b) Para designar leis, decretos e portarias, utiliza-se o ordinal até nono e o cardinal de dez em diante:
Artigo 3.° (terceiro) Artigo 14 (quatorze)
Observação: Ambos/ambas são considerados numerais. Significam “um e outro/”uma e outra”; “os dois”/”as duas”. Quando empregados, concordam em gênero com o substantivo: ambos os candidatos compareceram ao debate/ ambas as candidatas compareceram ao debate.

Exercícios

1. (MPE-PR/UFPA) Há situações em que o adjetivo muda de sentido, caso seja colocado antes ou depois do substantivo. Observe:

Lá se vão os pobres meninos
Pelas ruas da cidade.
Meninos pobres,
pelas ruas da cidade rica.

Qual é o significado da primeira e da segunda ocorrência da palavra “pobres” no trecho acima?

a) humildes/modestos
b) mendigos/sem recursos
c) dignos de pena/improdutivos
d) dignos de compaixão/desprovidos de recursos
e) ingênuos/sem posses

2. Os superlativos absolutos sintéticos de comum, soberbo, fiel, miúdo são, respectivamente:

a) comuníssimo, super, fielísimo, minúsculo.
b) comuníssimo, sobérrimo, fidelíssimo, minúsculo.
c) comuníssimo, superbíssimo, fidelíssimo, minutíssimo.
d) comunérrimo, sobérrimo, fidelíssimo, miudérrimo.
e) comunérrimo, sobérrimo, fielíssimo, minutissimo.

3. O plural de terno azul-claro, terno verde-mar é, respectivamente:

a) ternos azuis-claros, ternos verdes-mares.
b) ternos azuis-claros, ternos verde-mares.
c) ternos azul-claro, ternos verde-mar.
d) ternos azul-claros, ternos verde-mar.
e) ternos azuis-claro, ternos verde-mar.

4. (Univ. Fed. de Juiz de Fora- MG) Marque o emprego incorreto do numeral:
a) século III (três)
b) página 102 (cento e dois)
c) 80º (octogésimo)
d) capítulo XI (onze)
e) X tomo (décimo)

Gabarito

1. D

2. C

3. D

4. A

Continue estudando
Post do blog

Exercícios Resolvidos: Pronomes Demonstrativos e Indefinidos

Recentemente, falamos sobre as classes gramaticais e ensinamos o que são os pronomes. Eles são os responsáveis por acompanhar, substituir ou fazer referência ao nome. Ou seja, são palavras variáveis em gênero (masculino/feminino) e número (singular/plural).
artigo
Post do blog

Exercícios Resolvidos: Pronomes

Leia o resumo “Classes Gramaticais: Pronomes” e resolva os exercícios abaixo.
artigo