Amazônia brasileira: 3 personagens do folclore que simbolizam a região

Área de conhecimento ENEM: Amazônia brasileira

Competência: 6 – Compreender a sociedade e a natureza, reconhecendo suas interações no espaço em diferentes contextos históricos e geográficos.

Habilidade: H26 e H27 – Identificar em fontes diversas o processo de ocupação dos meios físicos e as relações da vida humana com a paisagem. Analisar de maneira crítica as interações da sociedade com o meio físico, levando em consideração aspectos históricos e/ou geográficos.

A Amazônia brasileira é, sem sombra de dúvidas, uma região que merece destaque no nosso país. Esbanjando recursos naturais, esta floresta tem, nos seus mais variados aspectos, dimensões que se distinguem pela grandiosidade em nosso planeta, o que atraiu olhares econômicos através de investimentos, ameaçando a sua biodiversidade. O Estado possui papel fundamental na fiscalização de recursos naturais. Alguns personagens do nosso folclore, caso tenham existido (por que não?) provavelmente foram profundos conhecedores de toda essa magnitude natural. Vamos a eles!

1. Curupira – Imponência amazônica

Um personagem típico das matas brasileiras e da Amazônia, caracteriza-se pelos cabelos de fogo e pés ao inverso. Tido por muitos como um protetor das matas e dos bichos, o Curupira possivelmente esteve por toda a imensidão da maior floresta equatorial do mundo, que ocupa mais de 40% do território brasileiro e está presente em nove países. Vivenciou a mata densa, de grandes folhagens, muito verde e com grande umidade devido à evapotranspiração, além de escalar árvores equivalentes a prédios de quase vinte andares.

2. Índia Naiá (Vitória Régia) – Biodiversidade

Esta lenda era a explicação dos índios sobre como nasceu essa planta. Diziam que, em um passado muito distante, a lua aparecia para “namorar” as mais belas índias à beira do lago. Elas eram tão belas que o astro as “roubava para si”.

Numa noite de luar, a índia Naiá avistou a Lua se aproximando, se atirou nas águas e desapareceu. Impressionada com o ocorrido, a Lua resolveu transformá-la numa planta aquática: a Vitória Régia. Naiá, além de ser símbolo da floresta de maior biodiversidade do mundo, pode presenciar tudo bem de perto. Milhares de espécies diferentes de plantas estão na Amazônia, cuja floresta representa um banco biogenético para os setores alimentícios, cosméticos e farmacêuticos.

3. Boto cor de rosa – Rio Amazonas

Famoso por seu galanteio, o boto cor de rosa se transforma, nas noites de festa junina, num belo e jovem rapaz muito sedutor. Usa roupas e chapéu branco e escolhe as mulheres mais bonitas das festas. Com seu jeito cativante, consegue convencer suas acompanhantes a um passeio nos rios amazônicos, onde as leva para o fundo do mar, engravidando-as.

O boto foi testemunha viva da maior bacia hidrográfica do mundo. Nadou pelo segundo maior rio do planeta o Rio Amazonas perde apenas para o Rio Nilo, mas a diferença é pequena  e, ao mesmo tempo, o rio mais caudaloso (aquele de mais volume d’água) do mundo. O rio Amazonas é, também, responsável por 12% das águas que vão de rios para o mar na Terra. Talvez, antes de qualquer um, o boto cor de rosa tenha tomado ciência de um grande aquífero presente na Amazônia  que consegue ter ainda mais volume d’água que o próprio rio Amazonas –, o Aquífero Alter do Chão.

Assim, podemos ver que nossas lendas também tem muito a ver com Geografia e nos facilitam entender a matéria para o vestibular.

E aí? Já sabem tudo sobre Amazônia? Agora é com vocês! 😉

VEJA NOSSO MAPA MENTAL SOBRE A AMAZÔNIA BRASILEIRA E CONFIRA SE VOCÊ ESTÁ POR DENTRO DE TUDO!

Continue estudando
Post do blog

Exercícios Resolvidos: Amazônia Brasileira

Leia o resumo Amazônia Brasileira e resolva as questões abaixo.
artigo
Post do blog

Sudeste, Sul e Centro-Oeste: Conheça o Centro-Sul, a região de concentrações

A região Centro-Sul é formada pelas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.
artigo