Ir para a página inicial do Descomplica

Menu

Prof. em aula
  • 6vídeos

Resumo para o Enem: Estrutura Atômica

Disciplina: Química

Questões

apagar a luz

00:00:00 Descomplica - Química Questões, Carlos Vitorino 00:00:13 Questão 18 do ENEM de 2009. A questão pede qual a opção que você vai marcar em relação ao gráfico do decaimento radioativo do 226Ra. No quadro, vemos o gráfico e ele mostra a desintegração com o tempo em anos. Então, nas opções: letra (a): Quanto maior o tempo de meia-vida de uma substância, mais rápido ela se desintegra. 00:00:42 Se meia-vida é o tempo necessário para diminuir a metade do que você tem da amostra, quanto menor for esse tempo de meia vida, mais rápido você chega na metade. 00:01:00 Letra (b): Apenas 1/8 de uma amostra de 226Ra terá decaído ao final de 4860 anos. 00:01:12 Se olharmos no gráfico, vemos que temos 1/8 do kg inicial. Mas isso é o que resta, não o que foi desintegrado. Nesse período de tempo, foi desintegrado 7/8 da amostra. 00:01:27 Letra (c): Metade da quantidade inicial de 226Ra, ao final de 3240 anos ainda estará por decair. 00:01:38 Se temos a metade ainda para decair, ainda temos a metade da amostra original, ou seja, estamos no período de meia-vida do elemento. Mas, olhando no gráfico, o período de meia-vida é de 1620 anos. Logo, a letra c também está errada. 00:01:59 letra (d): Restará menos de 1% de 226Ra em qualquer amostra dessa substância após decorridas 3 meias-vidas. 00:02:13 Se meia-vida é o tempo necessário para decair a metade, após 3 meias-vidas, teremos 12,5% da amostra, e não menos de 1% conforme sugerido. 00:02:28 Letra (e): a amostra de 226Ra diminui a sua quantidade pela metade a cada intervalo de 1620 anos devido à desintegração radioativa. 00:02:40 É exatamente isso que está mostrando no gráfico, o período de meia vida. 00:02:54 Resposta: Letra E. 00:02:57 Prova do Enem 2009, prova azul, exame que não foi anulado, questão 29. A questão pede para marcar a alternativa certa sobre os isótopos estáveis do antimônio. O texto diz que o gráfico (no quadro) está mostrando a relação entre o número de nêutrons e o número atômico para os núcleos estáveis. Os núcleos estáveis são os pontos marcados no gráfico. A linha é somente uma referencia. Todos os pontos que caíssem nessa linha teriam o mesmo número atômico e número de nêutrons. Mas essa linha foi deslocada para um maior número de nêutrons do que um número atômico. 00:03:40 Como ele pediu do antimônio, primeiro devemos ver qual é o número atômico dele. Na tabela periódica, podemos ver que o número atômico do antimônio é 50, você viria aqui no gráfico: número atômico = 50 e subiria para enxergar quais são os isótopos do antimônio. Quantos nêutrons esses isótopos teriam. 00:04:02 Você vai reparar que o número atômico 50 não está mais na curva z = n. Então temos mais nêutrons do que o número atômico, ou seja, mais nêutrons do que prótons. Aí vamos para as opções. 00:04:26 Letra (a) entre 12 e 24 nêutrons a menos que o número de prótons. 00:04:32 Essa já está errada. Temos mais nêutrons do que prótons. 00:04:40 Letra (b) Exatamente o mesmo número de prótons e nêutrons. 00:04:42 Também não, já vimos que temos mais nêutrons do que prótons. 00:04:45 Letra (c) Entre 0 e 12 nêutrons a mais do que o número de prótons 00:04:51 Entre 0 e 12 quer dizer 1 a mais ou 12 a mais. Basta olhar que, se olhar no gráfico, vemos que temos bem mais nêutrons do que prótons. 00:05:10 Letra (d) Entre 12 e 24 nêutrons a mais do que o número de prótons. 00:05:12 Essa é uma possibilidade. 00:05:14 Letra (e) Entre 0 e 12 nêutrons a menos do que o número de prótons 00:05:16 Também está errada. Então, sem fazer conta, sem olhar exatamente quantos são, marcamos a letra D.